domingo, 26 de junho de 2022

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Eduardo Cunha apresenta recurso contra decisão do STF sobre rito de impeachment
Embargos de declaração

Eduardo Cunha apresenta recurso contra decisão do STF sobre rito de impeachment

Mesa Diretora aponta omissão, contradição e obscuridade na decisão do Supremo.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

O presidente Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, interpôs embargos de declaração no STF, pedindo esclarecimento da decisão do plenário da Corte que fixou regras para a tramitação do processo de impeachment da presidente Dilma no Congresso.

Na ocasião, o Supremo decidiu, entre outros, que o Senado pode deixar de instaurar processo de impeachment, mesmo depois de autorização da Câmara, e que só após a decisão do Senado pela eventual instauração do processo, por maioria simples, é que a presidente é afastada.

Também derrubou o voto secreto que elegeu a comissão especial que iria analisar o pedido de impeachment, e invalidou a eleição da chapa avulsa para formação da comissão. Para os ministros, os integrantes da comissão só podem ser indicados por partidos ou blocos e a escolha deve se dar por meio de votação aberta. A chapa então vencedora era formada por partidos de oposição e por dissidentes da base governista, incluindo deputados do PMDB.

No recurso, a Mesa Diretora da Câmara afirma que, ao aceitar recurso do PCdoB, que questionou a validade do rito do impeachment, o STF interferiu no funcionamento interno da Casa e restringiu direitos dos parlamentares.

"Na perspectiva da Câmara dos Deputados a decisão proferida incorre em graves vícios (omissão, contradição e obscuridade), além de ter partido de premissas absolutamente equivocadas, sabido que os embargos declaratórios também constituem o meio apto para a correção de premissa inexata na qual se tenha baseado a decisão recorrida, como entende a Suprema Corte."

O recurso foi protocolado antes da publicação do acórdão, que é o texto final da decisão. Durante encontro no ano passado com Eduardo Cunha, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, disse que não há entendimento entre os demais ministros sobre a aceitação de recurso contra uma decisão antes da publicação do acórdão.

Veja os embargos de declaração.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 2/2/2016 08:20

Patrocínio