sábado, 12 de junho de 2021

MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Farmacêutica Shire consegue liminar para manter parceria suspensa pelo Ministério da Saúde

Publicidade

Medicamento

Farmacêutica Shire consegue liminar para manter parceria suspensa pelo Ministério da Saúde

Juiz considerou falta de motivação para suspensão e risco de desabastecimento do medicamento.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O juiz Federal Frederico Botelho de Barros Viana, da 4ª vara da JF/DF, concedeu liminar em favor da empresa farmacêutica Shire, com o objetivo de revogar a decisão do Ministério da Saúde que suspendeu os efeitos da Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) firmada com a Empresa Brasileira de Hemoderivados - Hemobrás.

Por intermédio da referida PDP, a Shire se comprometeu a transferir a tecnologia de fabricação do fator VIII recombinante (medicamento usado para tratar pacientes portadores de Hemofilia tipo A) para a Hemobrás. Como ocorre em toda a PDP, durante o processo de transferência de tecnologia, a Shire também se comprometeu a fornecer o medicamento à Hemobrás.

Muito embora a PDP tenha sido originalmente planejada para concluir as atividades apenas ao final de 2022, o Ministério da Saúde emitiu um ofício suspendendo a Parceria, sem, no entanto, fundamentar sua decisão ou, ainda, permitir que a Shire e a própria Hemobrás se manifestassem acerca do assunto.

Por entender que o ato administrativo de suspensão não foi devidamente motivado, que houve cerceamento de defesa e, ainda, que a suspensão do contrato poderia ocasionar o desabastecimento do medicamento no âmbito do SUS, a Shire ajuizou ação visando anulação da decisão do Ministério da Saúde com pedido liminar para suspensão imediata dos seus efeitos.

Em resposta, o juiz Frederico Botelho concedeu a liminar requerida fundamentando sua decisão em dois principais pilares: (i) o ato administrativo não foi, de fato, fundamentado (isto é, careceu de motivação); e (ii) não se poderia suspender a PDP sem que o Ministério da Saúde demonstrasse, ainda que perfunctoriamente, que não haveria risco de desabastecimento do medicamento no SUS.

A Shire é representada nesse processo pelos advogados Gustavo de Freitas Morais, Carlos Eduardo Eliziário de Lima e Rodrigo Augusto de Oliveira Rocci, sócios do Dannemann Siemsen Advogados.

  • Processo: 1007601-64.2017.4.01.3400

________________


Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 3/8/2017 16:08