sexta-feira, 5 de junho de 2020

ISSN 1983-392X

Coronavírus

TJ/GO: Academias de ginástica são autorizadas a funcionar com 30% de lotação

Desembargador observou que, o cenário atual se "perpetuará como um 'novo normal', que doravante teremos de vivenciar".

quinta-feira, 21 de maio de 2020

O desembargador Gilberto Marques Filho, do Órgão Especial do TJ/GO, concedeu liminar para autorizar o funcionamento de academias de ginástica. Ao decidir, magistrado pontuou que os estabelecimentos devem observar as medidas pertinentes de saúde e segurança e funcionamento com até 30% de lotação.

t

O Sindicato dos profissionais em Educação Física do Estado de Goiás e o Sindicato das academias do Estado de Goiás impetraram mandado de segurança contra decreto estadual que suspendeu as atividades de academias. Pleiteado a liberação das atividades, os Sindicatos apontaram que o decreto federal 10.344/20 incluiu as academias de ginásticas no rol de atividades essenciais.

Ao analisar o caso, o desembargador, relator do processo, pontuou ser notório que, em meio a pandemia, os governantes debatem acerca das melhores políticas a serem adotadas, afim de evitar a disseminação do vírus, precisamente com o objetivo de impedir o colapso do sistema de saúde do país.

"Em nosso Estado, a situação não se afigura diversa, o Chefe do Poder Executivo Estadual, médico por formação, sensível ao mal que nos acomete, tem se mostrado atento a questão, desenvolvendo políticas de isolamento, e mesmo de flexibilização, tudo, com o escopo de equilibrar o binômio, saúde x economia."

No caso concreto, o desembargador observou que estavam materializados a necessidade da suspensão da medida repudiada. O magistrado pontuou, ainda, que a atividade física está aliada na manutenção e preservação da saúde e, além disso, o cenário atual se "perpetuará como um 'novo normal', que doravante teremos de vivenciar".

Ao conceder liminar, o desembargador asseverou que as academias devem garantir todas as condições de segurança a saúde e que poderão funcionar com 30% de lotação.

Os Sindicatos foram amparados no caso pelo advogado Ovídio Inácio Ferreira Neto.

  • Processo: 5225954.55.2020.8.09.0000

Veja a decisão.

_____________

Para que o leitor encontre as notícias jurídicas específicas sobre coronavírus, reunimos todo o material em um site especial, constantemente atualizado. Acesse: www.migalhas.com.br/coronavirus

t

patrocínio

Advertisement

últimas quentes

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram