quinta-feira, 15 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

STF

"Não me sinto no banco dos réus", afirma Marco Aurélio por mandar soltar André do Rap

Para ministro, o "preço" que se paga por viver no Estado Democrático de Direito é "o respeito irrestrito ao arcabouço normativo legal e constitucional".

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

"Não me sinto, em que pese as inúmeras críticas, no banco dos réus. Atuei como julgador nessa missão sublime de julgar". Essa foi a fala do ministro Marco Aurélio, ao proferir seu voto sobre o caso de André do Rap, na tarde desta quinta-feira, 15.

Na última semana, o ministro mandou soltar o líder do PCC em razão da falta de revisão da prisão preventiva, em 90 dias, conforme prevê a lei anticrime.  E viu sua liminar ser cassada por decisão do ministro Luiz Fux, presidente da Corte.

Publicidade

"Paga-se em um preço por se viver em um Estado Democrático de Direito. O respeito irrestrito ao arcabouço normativo legal e constitucional." S. Exa. afirmou que continua convencido do acerto da liminar. "E se alguém falhou, não fui eu. Não posso ser colocado como bode expiatório."

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 15/10/2020 18:58

LEIA MAIS