sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. TAM tem que devolver tarifa cobrada por mudança de rota em razão da covid
Consumidor

TAM tem que devolver tarifa cobrada por mudança de rota em razão da covid

Passageiro trocou do bilhete aéreo para não precisar retornar à Itália, epicentro da covid-19 à época dos fatos.

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Passageiro que pagou diferença tarifária por mudança de troca do bilhete terá valor ressarcido. Decisão é da juíza leiga Marina Vitória Milani, do 11º JEC de Curitiba/PR, ao verificar que a alteração de rota aconteceu por conta do surto da covid-19 na Itália:

"o consumidor possui o direito de remarcar sua passagem sem o custo de diferença tarifária, porquanto seu voo estava programado na cidade que era, à época, o epicentro da covid-19."

A decisão foi homologada pela juíza de Direito Roseana C. G. R. Assumpção.

(Imagem: Freepik)

(Imagem: Freepik)

O passageiro alegou que adquiriu passagens da companhia aérea Tam para cobrir os trechos Curitiba - São Paulo - Milão, com retorno em março de 2020 e que, no meio de sua viagem, foi para a Bourg-Saint-Maurice, na França.

Nesse período, soube que a Itália havia se tornado o país com o maior surto do novo coronavírus, motivo pelo qual solicitou à empresa a mudança da troca do bilhete de retorno para que o embarque ocorresse em cidade francesa. O passageiro conseguiu a mudança, mas pagou R$ 1,3 mil por diferença tarifária.

Publicidade

Ao apreciar o caso, a magistrada afirmou que, diante do cenário pandêmico, é importante que as companhias aéreas levem em conta a necessidade de uma certa flexibilidade nas negociações, "tendo em vista que o embarque em Milão poderia colocar em risco a saúde do passageiro, o que é, inclusive, confirmado pela atitude da ré ao suspender seus voos para o referido destino, sendo que o CDC".

Para a magistrada, o consumidor possui o direito de remarcar sua passagem sem o custo de diferença tarifária, porque seu voo estava programado na cidade que era, à época, o epicentro da covid-19.

Assim, condenou a empresa a restituir o valor gasto com a alteração da rota.

O advogado Guilherme Alberge Reis, da banca Reis & Alberge Advogados, atuou na causa.

Veja a decisão.

____________

t

-----------------

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 30/10/2020 16:11