sábado, 22 de janeiro de 2022

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. TCU investiga atuação de Moro em administradora judicial da Odebrecht
Investigação

TCU investiga atuação de Moro em administradora judicial da Odebrecht

Ministro Bruno Dantas acolheu os pedidos feitos por um membro do MP.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

O vice-presidente do TCU, ministro Bruno Dantas, acolheu integralmente os pedidos feitos pelo subprocurador-Geral Lucas Rocha Furtado, do MP, para que seja apurada a conduta do ex-juiz Sergio Moro na atuação na empresa Alvarez & Marsal, administradora das empresas do grupo Odebrecht no processo de recuperação judicial.

Moro foi anunciado como diretor-geral da empresa Alvarez & Marsal em outubro.

Caso sejam comprovadas as acusações feitas pelo membro do parquet, o pagamento da Odebrecht à empresa Alvarez & Marsal poderá ser bloqueado. 

(Imagem: Alan Marques/Folhapress)

(Imagem: Alan Marques/Folhapress)

Pedidos

No ofício enviado ao TCU pelo subprocurador-Geral, o membro do parquet indica que Moro teria orientado procuradores do MPF em questões relativas às informações constantes no sistema da Odebrecht. Afirmou, ainda, que durante a atuação de Moro como juiz o acesso à informações privilegiadas pode ter contribuído para a situação de insolvência da empresa.

O subprocurador alegou, também, que pode haver conflito de interesses na situação, uma vez que, num primeiro momento, Moro atuou como juiz em processo judicial com repercussão na esfera econômico-financeira da empresa e, posteriormente, passou a auferir renda, ainda que indiretamente, no processo de recuperação judicial, para o qual seus atos podem ter contribuído.

Por essas razões, solicitou à Corte: 

a) Oficiar ao ministro do STF Ricardo Lewandovski, a fim de solicitar o compartilhamento das mensagens trocadas entre os procuradores do MP e o ex-juiz Sérgio Moro;

b) Oficiar ao juízo da Recuperação Judicial da empresa Odebrecht a fim de solicitar o compartilhamento da documentação relativa à escolha do administrador judicial e as análises que fundamentaram a definição do juízo pela empresa de consultoria Alvarez & Marsal, bem como os valores de remuneração que foram estrabelecidos;

c) Realizar oitivas das empresas Alvarez & Marsal e Odebrecht S.A para que se manifestem quanto aos fatos narrados e;

d) Avaliar a conveniência e oportunidade de se estabelecer, cautelarmente, a suspensão de qualquer pagamento à empresa Alvarez & Marsal, no âmbito da Recuperação Judicial da empresa Odebrecht S.A, até que o Tribunal avalie o mérito da questão.

Publicidade

Manifestação do TCU

O ministro Bruno Dantas posicionou-se integralmente de acordo com as medidas processuais sugeridas pelo subprocurador. Caso sejam apontadas irregularidades, será adotada a medida cautelar de suspensão de qualquer pagamento à empresa Alvarez & Marsal, na recuperação judicial da Odebrecht, até que seja avaliado o mérito da questão. 

S. Exa. solicitou, ainda, à consultoria e ao juiz da Vara de Falência que seja informado o valor da remuneração paga à Sergio Moro. Facultou, também, à empresa, a possibilidade de fornecer informações completas a respeito do processo de contratação do ex-juiz.

Para finalizar, requisitou, ao ministro Ricardo Lewandovski, do STF, o compartilhamento das mensagens trocadas entre os procuradores do MPF e o ex-juiz, uma vez que o teor dessas mensagens pode trazer valiosas informações para as apurações.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 26/2/2021 12:12