sexta-feira, 23 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Diminuindo desigualdades

PLKC Advogados adere à campanha da UNICEF em prol da educação

Campanha #MaisConexão#MaisDireitos irá transformar doações de dinheiro em kits de conectividade, como solução que chegará a adolescentes e jovens estudantes de escolas públicas de SP e da região Norte do país.

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Além do impacto direto na saúde de milhares de pessoas, a crise provocada pela covid-19 também tem acelerado as desigualdades sociais e econômicas existentes entre diferentes grupos da sociedade brasileira. Com a suspenção das aulas presenciais e a adoção do ensino online ou híbrido, os adolescentes e jovens que não têm acesso à internet ficaram excluídos de seu direito de aprender. 

Segundo dados recentes da TIC Kids Online do Cetic.br/NIC.br, entre outubro de 2019 e março de 2020, cerca de 4,8 milhões de crianças e adolescentes de 9 a 17 anos de idade viviam em domicílios sem acesso à internet. A pesquisa ainda aponta que não ter Internet em casa é o principal motivo para o não uso da rede - o que foi reportado por 1,6 milhões dos não usuários.

Cerca de 89% da população de 9 a 17 anos é usuária de internet. Contudo, o percentual é menor entre crianças e adolescentes que vivem em áreas rurais (75%) nas regiões Norte e Nordeste (79%) e entre os domicílios das classes D e E (80%).

Ou seja, parcela substancial de crianças e adolescentes não pode ser alcançada por informações partilhadas eletronicamente, incluindo material de aprendizagem via plataformas digitais. E se essa impossibilidade assim permanecer, qual o tamanho do abismo para essa geração, ao distanciá-la ainda mais daqueles que têm oportunidades de acesso à aprendizagem? Imensurável, para tristeza de um país inteiro.

Diante desse cenário, da necessidade urgente de agir para evitar a evasão escolar e o agravamento das desigualdades sócio econômicas, o PLKC Advogados se uniu ao UNICEF, com a campanha "#MaisConexão#MaisDireitos", para transformar doações de dinheiro em kits de conectividade, como solução que chegará a adolescentes e jovens estudantes de escolas públicas de São Paulo e da região Norte do país. 

Com isso, se fortalece a rede de proteção social oferecida por sérias organizações da sociedade civil, parceiras do UNICEF, que entregarão os kits em mãos aos adolescentes e jovens que realmente precisam e os acompanharão no processos de aprendizagem. O direto à educação é de todos.  

A iniciativa do UNICEF, em parceria com a PLKC, é um convite aberto a todos que queiram doar em prol da oportunidade de acesso à educação a adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade. 

"O acesso ao estudo à distância é crucial para evitar outro problema grave que atinge principalmente os adolescentes e jovens no final do ensino médio: a evasão escolar. O nosso papel é priorizar a educação e fortalecer toda a rede de Organizaçõesque apoiam esses jovens", explica José Henrique Longo, do PLKC Advogados, escritório responsável pela mobilização de parceiros e da sociedade civilem prol da campanha. 

(Imagem: Divulgação)

José Henrique Longo(Imagem: Divulgação)

Cada kit completo custa R$ 1.593,00 e é composto de 1 smartphone, 1 cartão pré-pago para uso de internet durante 5 meses, 1 caderno de 200 folhas pautadas, 1 publicação sobre competências para a vida, 1 publicação com dicas de inserção no mercado de trabalho, além de álcool em gel e máscaras. É possível doar qualquer valor na páginada campanha #MaisConexão #MaisDireitos, cuja meta de arrecadação é de R$ 1 milhão e, assim, beneficiar 1.200 jovens do Norte e de regiões periféricas de São Paulo.

O UNICEF será responsável pela distribuição dos materiais e seleção dos beneficiários, podendo entregar diferentes tipos de kits, a depender do perfil de cada um deles. O aparelho smartphone será entregue apenas àqueles que não possuírem um dispositivo.

Os pré-requisitos para o jovem receber o kit são:  

  • Estar matriculado em escola pública cursando o último ano do Ensino Médio;
  • Residir em local no qual haja cobertura de algum sinal de telecomunicação/internet;
  • Residir no município de São Paulo ou em alguma cidade da região Norte do país (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima) ;
  • Não ter no domicílio nenhum dispositivo para acessar internet;
  • Não dispor de pacote de dados, assinatura ou acesso gratuito à internet;
  • Estar  engajado  em alguma iniciativa comunitária ou  se  engajar a partir desta iniciativa.

A campanha segue até setembro deste ano. Para o apoio nas entregas, o UNICEF contará com parceiros-implementadores que receberão apoio financeiro para realizarem as atividades, beneficiando assim também organizações da sociedade civil.

Mais informações e detalhes sobre como doar, clique aqui

t

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 7/4/2021 09:21