segunda-feira, 20 de setembro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Ministro Nunes Marques será presidente da 2ª turma do STF
STF

Ministro Nunes Marques será presidente da 2ª turma do STF

O ministro assumirá o cargo em agosto, após o recesso do Judiciário.

quarta-feira, 30 de junho de 2021

Nesta terça-feira, 29, o ministro Nunes Marques foi eleito presidente da 2ª turma do STF, seguindo o sistema de rodízio. S. Exa. assume o lugar deixado pelo ministro Gilmar Mendes, que apresentou relatório de sua gestão em sua última sessão à frente do colegiado.

(Imagem: Fellipe Sampaio /SCO/STF)

Após despedida de Gilmar Mendes, Nunes Marques assume mandato como presidente da 2ª Turma. (Imagem: Fellipe Sampaio /SCO/STF)

Presidência em números

Em sua despedida, Mendes lembrou que assumiu o mandato diante de verdadeiro período de exceção causado pela pandemia da covid-19. "Mas, graças ao extraordinário empenho dos ministros e servidores da casa, a prestação jurisdicional ampliou-se, mesmo nos momentos de maiores restrições", afirmou.

Foram realizadas 77 sessões ordinárias na sua gestão, 35 delas por videoconferência, e analisados mais de 5,3 mil processos. Somente nos últimos dois meses, foram apreciados 40 habeas corpus e recursos em habeas corpus.

Agradecimentos

O decano da 2ª turma, ministro Ricardo Lewandowski, enfatizou que, sob a gestão de Gilmar Mendes, o colegiado "cumpriu o dever de prestar uma jurisdição tempestiva e eficiente". A ministra Cármen Lúcia manifestou que os números do mandato falam por si.

Edson Fachin destacou que o agora ex-presidente da turma "jamais se furtou ao diálogo" enquanto acadêmico, professor, jurista e magistrado.

Por fim, o subprocurador-geral da República Luiz Augusto Santos Lima agradeceu ao ministro em nome do órgão e desejou que, no retorno dos trabalhos da turma, já no mandato de Nunes Marques, eles possam dividir o mesmo espaço físico.

O próximo presidente do colegiado assume em agosto, após as férias coletivas dos ministros, e irá conduzir os trabalhos por um ano.

Informações: STF. 

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 30/6/2021 09:00