MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Migalhas Quentes >
  4. Empresa consegue justiça gratuita e isenção de depósito no TST
Benefício

Empresa consegue justiça gratuita e isenção de depósito no TST

Para ministro, restou comprovada a impossibilidade de arcar com as despesas do processo.

Da Redação

terça-feira, 13 de setembro de 2022

Atualizado às 14:37

Uma pessoa jurídica conseguiu no TST benefício da Justiça gratuita. Decisão é do ministro Alberto Bastos Balazeiro, que isentou a empresa inclusive do depósito prévio.

A ação rescisória foi proposta pela empresa, que atua no ramo de ecoenergia, visando desconstituir acórdão do TST em outro processo. Ela afirmou estar em inatividade e com severa condição econômica, por isso, requereu a concessão da assistência gratuita na ação rescisória por ela ajuizada.

O relator destacou que, conforme a súmula 463, II, da Corte Superior, a concessão da assistência judiciária gratuita à PJ depende da demonstração cabal de impossibilidade de a parte arcar com as despesas do processo. Para ele, a autora conseguiu demonstrar, no processo, que possui débitos no patamar de R$ 20 milhões, e que busca reparar ao menos parte dos prejuízos financeiros. 

 (Imagem: Freepik)

Empresa com problemas econômicos consegue Justiça gratuita no TST.(Imagem: Freepik)

Demonstrada a incapacidade econômica para arcar com as despesas processuais, notadamente o depósito prévio da ação, o ministro deferiu o benefício. 

A empresa é representada pelos advogados Fernando AbdalaLudmylla Pinheiro Coelho, do Abdala Advogados.

Ela explica que "ao se exigir o depósito prévio de 20% para ajuizamento da ação rescisória, cria-se uma barreira, muitas vezes definitiva, para que se corrija decisões equivocadas". Para a advogada, a decisão demonstra que a Justiça do Trabalho também é sensível à condição de miserabilidade das empresas, e não só dos empregados.

Leia a decisão.

Abdala Advogados

Patrocínio

Patrocínio Migalhas