MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Migalhas Quentes >
  4. Deputado indenizará Felipe e Luccas Neto por associá-los a pedofilia
Danos morais

Deputado indenizará Felipe e Luccas Neto por associá-los a pedofilia

Indenização a ser paga pelo bolsonarista Helio Lopes foi fixada em R$ 50 mil. Ele também foi condenado a publicar retratação nas redes sociais.

Da Redação

sexta-feira, 3 de março de 2023

Atualizado às 17:32

O deputado Federal Helio Lopes foi condenado a indenizar em R$ 50 mil os youtubers Felipe e Luccas Neto. Decisão é do juiz de Direito Mario Cunha Olinto Filho, da 2ª vara Cível do RJ.

A ação foi ajuizada pelos irmãos em 2020, quando o deputado bolsonarista publicou uma montagem de vídeos das vítimas fora de contexto, com conotação sexual e foco em pedofilia. Posteriormente, as postagens foram apagadas pelo deputado.

"No caso, visivelmente ocorreu uma montagem sobre vídeos produzidos pela dupla autora pelo réu, retirando o conteúdo e sequência originais, além de inversão de falas, com recortes em cenas que, lançadas fora do contexto, serviam para que o réu sugerisse a seu público a ocorrência de comportamento indevido de cunho sexual, com foco em pedofilia."

 (Imagem: Freepik)

Helio Lopes indenizará irmãos Luccas e Felipe Neto em R$ 50 mil por acusação de pedofilia.(Imagem: Freepik)

O juiz constatou que houve notório dano moral, já que a publicação difamou a imagem de pessoas públicas que lidam com público jovem.

"E o grau de reprovação da conduta do réu é maior do que de uma pessoa comum, já que, sendo parlamentar, também pessoa pública e teoricamente representante popular, faz com que a montagem realizada para caber no título que prega com amplo espectro para divulgação, muito mais vergonhosa."

Sendo assim, o juiz julgou procedente o pedido para condenar Helio Lopes a indenizar Felipe e Luccas Neto por danos morais em R$ 50 mil, sendo R$ 25 mil para cada. O deputado também foi condenado a publicar retratação nas redes sociais.

O escritório Ribeiro da Luz Advogados atua pelos youtubers.

Veja a decisão.

Ribeiro da Luz Advogados

Patrocínio

Patrocínio Migalhas