MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Migalhas Quentes >
  4. TJ/MG pune Ludmila Lins Grilo com aposentadoria compulsória
Aposentadoria

TJ/MG pune Ludmila Lins Grilo com aposentadoria compulsória

Juíza foi afastada pelo CNJ em fevereiro deste ano, por baixa produtividade e publicações nas redes sociais incompatíveis com deveres funcionais.

Da Redação

quinta-feira, 25 de maio de 2023

Atualizado às 17:59

O Órgão Especial do TJ/MG decretou aposentadoria compulsória com proventos proporcionais à juíza de Direito Ludmila Lins Grilo. Decisão foi publicada no Diário Oficial da Justiça desta quinta-feira, 25.

Ludmila foi afastada pelo CNJ em fevereiro deste ano. Ela tornou-se conhecida nas redes sociais no início de janeiro de 2021, quando defendeu, para mais de 130 mil seguidores no Twitter à época, "a aglomeração de pessoas nas praias e festas do litoral brasileiro" com a hashtag #AglomeraBrasil.

Nas reclamações analisadas pelo CNJ, ela foi acusada de não comparecer ao fórum, ter excesso de processos paralisados e baixa produtividade. Em outro processo ela foi investigada por publicações nas redes sociais incompatíveis com seus deveres funcionais.

Ataques ao STF

Em setembro do ano passado, Ludmila passou a ser investigada por "conduta nas redes sociais incompatível com seus deveres funcionais". Na ocasião, ela atacou ministros do STF e divulgou o canal do bolsonarista Allan dos Santos, em tentativa de auxiliá-lo a subtrair-se da determinação do STF que determinou o bloqueio de contas e proibição de remessas de valores a ele.

Em uma das postagens, que falava sobre o inquérito das fake news, a juíza escreveu: "Ato autoritário é juiz abrir inquérito e figurar como vítima, investigador e julgador ao mesmo tempo. Como associada, aguardo manifestação da AMB sobre isso".

Em outro momento, compartilhou uma montagem com fotos dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes com os seguintes dizeres: "Os perseguidores-gerais da República do Brasil".

Também na mesma época, ela comentou a busca e apreensão realizada na casa de Sergio Moro durante o período eleitoral: "uma das maiores bizarrices da legislação eleitoral". Na ocasião, Moraes determinou o bloqueio do Twitter da magistrada.

 (Imagem: Reprodução/Youtube)

Ludmila Lins Grilo é aposentadoria compulsoriamente com proventos proporcionais.(Imagem: Reprodução/Youtube)

#AglomeraBrasil - Relembre

A magistrada em questão tornou-se conhecida nas redes sociais no início de janeiro de 2021, quando defendeu, para mais de 130 mil seguidores no Twitter à época, "a aglomeração de pessoas nas praias e festas do litoral brasileiro".

Ludmila divulgou um vídeo de fogos de artifício vistos de uma praia com os dizeres "Feliz Ano Novo!", seguido pela hashtag #AglomeraBrasil. Em outra publicação, compartilhou um vídeo que mostra uma rua repleta de pessoas.

No post, a juíza comentou: "Rua das Pedras, em Búzios/RJ, agora à noite. Uma cidade que resiste à estupidez". Posteriormente, a magistrada postou um vídeo "ensinando" como burlar o uso da máscara.

Nas imagens, Ludmila toma um sorvete e diz que desta forma pode andar pelo shopping sem o uso da proteção. "O vírus não gosta de sorvete", ironizou.

Patrocínio

Patrocínio Migalhas