Quinta-feira, 17 de agosto de 2017

ISSN 1983-392X

2006

Elevada a freguesia em 1814, em território da freguesia de Franca, ficou pertencendo à comarca de Itu; passou a fazer parte do Território de Franca, da 3.ª comarca (Campinas), pelo Ato do Presidente da Província, em Conselho, de 23 de fevereiro de 1833.

Elevada a município em 1839, passou a construir cabeça do termo de Batatais e Franca, da comarca de Franca pela Lei n.º 7, de 14 de junho de 1839, termo de Batatais, comarca de Franca, pela Lei n.º 11, de 17 de julho de 1852; termo de Batatais, comarca de Batatais, pela Lei n.º 37, de 20 de fevereiro de 1875.

Esta comarca foi criada com os termos de Batatais e Ribeirão Preto e instalada a 2 de agosto de 1875.

Foram incorporados os seguintes municípios: Jardinópolis, pela Lei n.º 554, de 27 de julho de 1898; Brodósqui, pela Lei n.º 1 381, de 22 de agosto de 1913; Altinópolis, pela Lei n.º 1 610, de 3 de dezembro de 1918.

A Lei n.º 37, de 20 de abril de 1875, desmembrou o termo de Ribeirão Preto.


Batatais ficou pertencendo à comarca de:

Comarca de Itu - 1814

3ª Comarca (Campinas) -1833

Comarca de Franca -1839

Comarca de Batatais -1875

A comarca de Batatais não atende nenhum outro município.

Juízes que passaram pela comarca:

  • Dr. Simpliciano da Rocha Pombo1875 a 1891
  • Dr. José M. Azevedo Marques1891 a 1892
  • Dr. Adeodato de Andrade Botelho1892 a 1895
  • Dr. Antônio Bento Domingues de Castro1895 a 1907
  • Dr. Nicolau Vergueiro da Silva Gordo1907 a 1911
  • Dr. Bazileu Soares Muniz1911 a 1928
  • Dr. João Francisco Cuba dos Santos1928 a 1934
  • Dr. Virgílio Paschoal Argento1934 a 1940
  • Dr. Euclides Custódio da Silveira1940 a 1944
  • Dr. Joaquim Zeferino Ferreira1944 a 1945
  • Dr. José Cavalcante Silva – 1945 a 1947
  • Dr. Humberto de Andrade Junqueira1947 a 1954
  • Dr. Carlos Gomes dos Reis – 1954
  • Dr. João Roberto Martins1954 a 1955
  • Dr. Paulo Augusto do Amaral1955 a 1956
  • Dr. José de Castro Duarte1956 a 1958
  • Dr. Roberto Tobias Mortari1958 a 1962
  • Dr. Walter Paulo do Amaral Gurgel1962 a 1964
  • Dr. Fábio Costa Carvalho Moretzsohn de Castro1965 a 1966
  • Dr. Mário Martins Bonilha 1966 a 1967
  • Dr. Cornélio Vieira de Morais Junior – 1967
  • Dr. Lothário Octaviano Diniz Junqueira – 1967
  • Dr. Ângelo Gallucci1967 a 1969
  • Dr. José Mauro da Silveira1969 a 1977
  • Dr. Nicanor da Silva Baptista Filho1977 a 1979
  • Dr. Hélio Rubens Pereira Navarro – 1979
  • Dr. Sérgio Sá Carvalho de Figueiredo1979 a 1983
  • Dr. Ivan Rodrigues de Andrade1983 a 1989
  • Dr. Luiz Antônio Soares Hentz1989 a 1994
  • Dr. Eliezer Walter Gentillini1994 a 1996
  • Dr. José Rodrigues Arimatéa1996 a 1999
  • Dra. Flávia de Almeida Montigelli Zanferdini – 1998
  • Dra. Simone de Figueiredo - 2000
  • Dr. Rogério Tiago Jorge - 2005

Advogados de destaque na década de 50:

  • Dr. Francisco Arantes Junqueira
  • Dr. Genésio Caldas
  • Dr. Guilherme Tambelini
  • Dr. Humberto de Andrade Junqueira
  • Dr. Jesus Machado Tambelini
  • Dr. Osvaldo Scatena
  • Dr. Benedito Tondela Júnior

Denominações anteriores: Sertões dos Batatais, Arraial Velho.

Fundadores: Germano Alves Moreira e sua mulher Ana Luísa.

Data da fundação: 25 de fevereiro de 1815.



Nos fins do século XVI, entre 1594 e 1599, os dois Afonso Sardinha, pai e filho, e João de Prado, alcançaram as margens de Jeticaí, Rio Grande de hoje. Nessa marcha, certamente, atravessaram a “paragem dos Batatais”, então habitada pelo “Gentio Caiapó”.

Bartolomeu Bueno da Silva, o “Anhanguera”, no encalço do ouro de Vila Boa, por ele descoberto no ano de 1725, também, visitaram a paragem. Foi depois desse descobrimento que aquelas veredas, abertas pelo pé aborígine, se tornaram no “Caminho dos Guaiases”.

A região passa a atrair generalizada atenção, ante a notícia do ouro goiano, achado pelo “Anhanguera”. Todos demandam para Vila Boa.

No caminho dos guaiases prósperas fazendas aparecem, concedidas em sesmarias, a título de legitimação possessória, de terras já trabalhadas e, também, sob alegação de convivência para os mineiros, de melhor estabelecimento das minas.

O “Caminho dos Guaiases”, pois, logo se pontilha das aludidas fazendas, pertencentes a paulista, na sua maioria moradores de São Paulo, Itu, Santos e São Vicente. Esses foram os primeiros povoadores da zona, que se juntaram a elementos vindos de Minas Gerais.

A sesmaria de Batatais é de 5 de agosto de 1728, tendo sido dada a Pedro da Rocha Pimentel, e passada na cidade de São Paulo.

Em 1814 já se encontrava um povoado e uma capela. Por Alvará de 25 de fevereiro de 1815 é transformado em freguesia sob o orago do “Senhor Bom Jesus dos Batatais”, e com território compreendido entre os rios Pardo e Sapucaí, que ainda, lhe serviam de limites até as suas barras no Rio Grande, e de outra parte, às lindes divisórias da Freguesia de Jacuí, pelos marcos da capitania.

Em 1820, o Padre Bento José Pereira, achou conveniente a localização do povoado noutra paragem. Houve desinteligências, uns tomaram o partido do Padre, enquanto que outros se filiaram à corrente chefiada por Manuel Bernardes e Antônio José Dias. Após prolongadas lutas, junto ao bispado, foi consentida a transladação. O local escolhido foi “ Campo Lindo das Araras”. Doou-a Germano Alves Moreira e sua senhora Ana Luísa, por escritura de 10 de agosto de 1822.

Em 14 de março de 1839 foi criado a “Termo de Batatais”, e neste mesmo dia pela Lei provincial n.° 7 era a freguesia elevada à categoria de vila.

Em 8 de abril de 1875, a Lei n.° 20 dá-lhe foros de cidade.

Em 20 de abril de 1875, a Lei provincial n.° 37 eleva-se à Comarca de 1.° entrância.

Em 15 de maio de 1875, pelo Decreto n.° 5 918 verificou-se sua ascensão à Comarca classificada, instalada a 2 de agosto de 1875.

A origem do nome “Batatais” crê-se seja originada das extensas plantações de batata feitas pelos índios e descobertas, em gostosa surpresa, pelos primeiros bandeirantes.

Crê-se ,também, que a origem seja tupi: MBAITATA (ou Baitata) – cobra de fogo, que na crença dos índios, era o gênio que protegia os campos contra os incêndios.
_______________

  • Origem do nome

Tupi. MBAITATA (ou Baitata) = Cobra de Fogo que, na crença dos índios, era o gênio que protegia os campos contra os incêndios.
__________

  • Personagens

Altino Arantes Marques

Natural da cidade de Batatais, interior de São Paulo, foi mais um entre tantos governadores de São Paulo a formar-se em Direito pela Faculdade do Largo de São Francisco, em 1895. Foi membro da direção do Partido Republicano Paulista – PRP e também seu presidente.

Antes de chegar à presidência do Estado de São Paulo foi deputado federal por dois mandatos: 1906/1908 e 1909/1911, tendo sido também Secretário de Estado do Interior (1911/1915).

Em 1916 inicia seu mandato como presidente do Estado. Em seu governo foi promovida a segunda valorização dos preços do café (a primeira foi em 1906, por força do Convênio de Taubaté). Com a geada de 1918, esse produto, com grandes excedentes no Porto de Santos, duplicou de preço, permitindo, a Altino Arantes, um governo cheio de realizações. Com a queda da produção foi possível colocar os excedentes no mercado internacional, permitindo ao governo, com o desafogo, retirar das mãos de um grupo norte-americano, o controle da Sorocabana. Entre 1921 e 1930 foi novamente deputado federal.

Em 1946 foi deputado constituinte e, mais uma vez, deputado federal. Foi o primeiro presidente do Banco do Estado de São Paulo, tornou-se membro e presidente da Academia Paulista de Letras – ABL e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Faleceu na cidade de São Paulo em 1965.

Washington Luis

Nascido em Macaé, Rio de Janeiro, em 1870, era filho do Tenente Coronel Joaquim Pereira de Souza e de Florinda Sá Pinto Pereira de Souza. Estudou no Colégio Pedro II, na cidade do Rio e, em 1889, ingressou na Faculdade de Direito de São Paulo, no Largo de São Francisco.

Em 1891, tornou-se bacharel em Direito e foi nomeado Promotor Público da cidade de Barra Mansa, no Rio de Janeiro. Como o cargo era mal remunerado e ele não conseguia transferência para um lugar melhor, Washington Luis aceitou o convite do ex-colega de faculdade Joaquim Celidônio dos Reis Júnior para trabalhar em seu escritório de advocacia, em Batatais, atendendo os processos que envolviam os ricos proprietários de fazendas de café da região.

Desde a juventude, portanto, Washington Luis esteve envolvido com os grandes cafeicultores de São Paulo. Em 1894, por exemplo, redigiu o Código de Posturas ou Leis de Batatais. Tudo o que teve de estudar para isso foi fundamental para facilitar a sua compreensão das necessidades de melhoramentos do município.

Por esse tipo de iniciativa, Washington foi eleito vereador em 1895. Tomou posse no ano seguinte, destacou-se como um intransigente defensor da autonomia do município, onde as pessoas moram e precisam de todos os serviços do Poder Público.

Em 1897, após ocupar a Presidência da Câmara, renuncia ao cargo devido a pressões políticas, mas logo é indicado para intendência Municipal, cargo semelhante ao do prefeito atualmente.

Além de Washington Luis outros nomes também fizeram parte da história política de Batatais, entre eles: Altino Arantes e Afonso Celso Garcia da Luz.

Joaquim Antão Fernandes

Joaquim Antão Fernandes nasceu em Batatais, em 1864, e iniciou os seus estudos com o mestre Caetano. Aos dez anos, passou a ter aulas com o mestre Leonardo, tornando-se músico dois anos depois. Aos 16 anos, um soldado chamado Maximiliano o convida a ingressar no Corpo Policial Permanente, como músico. Ele aceita e transfere-se para o município de Casa Branca como corneteiro de quartel. Prossegue na carreira e, em abril de 1889, faz uma viagem de estudos musicais à Europa, principalmente à Itália.

Em 1911, Antão Fernandes, com uma banda de 120 músicos, apresenta-se em Batatais, na inauguração do Grupo Escolar Dr. Washington Luis. Por ser contrário à Revolução Paulista de 1924, é preso. Seis anos depois, volta a ser incluído nos quadros da Força Pública para reorganizar a banda de música da corporação.

Além do hino a Batatais, composto por ocasião do centenário da cidade em 1939, destacam-se na trajetória do músico (falecido em São Paulo, em 1949) a Rapsódia Paulista, a Marcha Batida do Hino Nacional Brasileiro, a Aurora da Liberdade e a Fantasia de Ceci Peri.
________________

  • Locais históricos

Igreja Matriz do Bom Jesus da Cana Verde



Sua forma atual foi iniciada em 1928, sob a direção do arquiteto italiano Júlio Latini em estilo neo-clássico, que contratou o engenheiro e arquiteto italiano Carlos Zamboni para execução da obra. Foi concluída em 1953, e no seu interior podemos encontrar grande números de pintura de Portinari.Os vitrais da Igreja são de autoria de Conrado Sorgenicht Filho, constituindo-se de 48 vitrais de grande dimensão com refinada técnica na distribuição de cores.

O destaque especial é o altar-mor, verdadeiro monumento à iconografia universal do Senhor Bom Jesus da Cana Verde, pintada por Cândido Portinari, assim como um acervo de 21 telas. A Igreja Matriz é visitada por turistas da região, capital e exterior.
__________________

  • Curiosidades

Estação da Cultura

A estação foi inaugurada em 1886, na época “Batataes da Canna Verde” já era uma cidade estabelecida e município autônomo. A chegada da então linha-tronco da Mogiana vinha apenas facilitar a comunicação da cidade com a Capital e o porto, e acelerar seu progresso. Em 1938, foi inaugurado um novo prédio, mais moderno, para a estação. Em 1980 ocorreu o último comboio de cargas de Batatais para Ribeirão. Com a desativação da linha, a estação foi abandonada, e, em 1986, já tinha sido vendida à Prefeitura, e servia como posto de INSS e do Ministério do Trabalho, estando em bom estado. Dois anos depois, os trilhos foram retirados. Em 1998, um incêndio destruiu boa parte do depósito. Hoje (2005) o prédio está restaurado, acomodando a Estação da Cultura, um dos pontos turísticos de Batatais.

Cachoeira dos Batatais

Com exuberante vegetação, piscinas semi-naturais, play-ground, sanitários, vestiários, lanchonete, área de camping e estacionamento.

Bosque Municipal

Tem uma grande área verde com eucaliptos e variedades de plantas e flores ornamentais recanto de lazer, pista de cooper, campo de bocha, área de piquenique e lanchonete. Localizado na Av. da Saudade, s/n.

Parque Náutico



Parque com cachoeira (como Represa de Cachoeira), piscinas seminaturais, exuberante vegetação, infra-estrutura turística.

Lago Artificial de Batatais



Lago artificial cercado de plantas, possui zoológico, reserva natural de plantas, calçadão para prática de ciclismo, caminhadas ou cooper.

Hino

"Batatais, minha terra querida,
Meu encanto, meu sonho de artista,
Tão formosa surgiste na vida.
E na história do povo paulista!

Cana Verde...Arraial...Bom Jesus...
Bandeirante nasceste sem jaça!
Hoje és grande, és a glória, és a luz
Dos teus filhos, paulistas de raça!

Estribrilho: Rincão da terra brasileira,
Onde se exulta o próprio Deus
Alto elevar tua bandeira,
Eis o dever dos filhos teus!

Batatais, és meu berço mimoso!
Ser teu filho é suprema conquista!
Teu porvir há de ser luminoso
No aconchego da terra paulista.

Ser teu filho é ser nobre, é ser forte.
Pois do amor és gentil relicário!
Que Deus seja teu rumo, teu norte,
Ao fazeres teu centenário!

Estribrilho: Parcela d’alma dos teus filhos!
Canto de amor! Torrão gentil!
Foste e serás fonte de brilhos
Para os paulistas do Brasil!

Muito humilde nasceste, é verdade;
Mas, teus filhos briosos, por fim
Transformaram-te em grande cidade
De São Paulo a cidade jardim!

De teus filhos briosos, a corte
Murmurando a cantar: “Batatais”!
Lutarão por fazer-te mais forte,
Por maior te fazer ainda mais!

Estribrilho: Foste arraial da verde-cana,
Da cana-verde de Jesus!
Hoje és cidade soberana
Deste solar de Santa Cruz!"

Música - Joaquim Antão Fernandes
Letra - Antônio Nogueira Braga

Agricultura

Prop. agric. Existentes - 350
Propr. agric. com menos de 20 alqueires - 66
Propr. agric. de 20 a 50 alqueires - 60
Propr. agric. de 50 a 100 alqueires - 67
Propr. agric. de 100 a 200 alqueires - 93
Propr. agric. de 200 a 500 alqueires - 38
Propr. agric. de mais de 500 alqueires - 26

Variedade de culturas praticadas: Arroz, milho, feijão, café.

Valor global aproximado das propriedades agrícolas: Cr$ 30.000.000,00.

Comércio

Número de firmas taxadas no Imposto de Indústrias e Profissões: 236.

Relação das consideradas grandes firmas :

Relojoaria: Adolfo Bianco, Basílica Biava.

Secos e Molhados: Adolfo Schievano, Anselmo Testa, Augusto Pereira Passos, Scatena & Cia. Ltda., Waldomiro Silva, Geraldo Magela & Cia. Ltda., Jorge João Mansur, José Yara, Júlio André Nader, Moisés Taham, Vitório Marinheiro.

Bares: Amadeu Tassinari, Antônio Faraco, Antônio Luís de Abreu, Artur Soldadati, Reis & Campez, José Paulo Sibim, Nelson R. Menezes.

Cereais por atacado: Antônio João, Antônio Pozza, R. Faraco & Cia. Ltda, Waldomiro Silva, Felipe Caran, Gentil Baldocchi, Moacir Testa.

Sorveteria: Antônio Luís de Abreu. Fazendas: Artur Lundgren & Cia. Ltda., Constantino R. Nassralla, Wadk Miguel Acra.

Ferragens: Bruno Coraucci, Doacir Crivelenti.

Calçados: Caetano Faccini.

Brinquedos: Cassiana Ferraz de Menezes.

Agências de automóveis: Fernando Bologna & Cia Ltda.

Peças para automóveis: Irmãos Garbelini.

Açougues: Irmãos Scavazza.

Materiais para construções: Jerônimo Martins do Carmo.

Indústria

Número de indústrias tachadas no imposto de indústrias e profissões: 46.

Número de operários trabalhando nas indústrias: 1.300.

Capital invertido na indústria no município: Cr$ 20.000.000,00.

Relação das consideradas grandes indústrias:

Fiação e Tecelagem: Gabriel & Rafael Lafet.

Chapéus de pelo e lã: Bráulio & Cia. Ltda

Massas alimentícias: Rigoto & Faraco.

Fábrica de móveis: Cláudio Nori, Irmãos Baldocchi, Artur Bergamini.

Fábrica de calçados: Carlos Bianco, J. Pascual & Cia Ltda., Joaquim Aires de Sousa. Fábrica de guaraná: A Herbeta & Cia.

Panificação: Lodovico Lanceloti, Artur Trifoni.

Cortume: Irmãos Alipradini Ltda.

Fábrica de Transformadores: Justino de Morais, Irmãos & Cia. Ltda.

Serralheiro: Elzio Lavagnoli.

Benefício e Padronização do Café: Gaeta & Irmãos.

Benefício de arroz: José Orsolini, Donato Venturoso, Manuel J. Rodrigues. Marmorarias: Bertaso & Setti. Fecularia: Boaventura Dias de Gouveia.

Construções: Construtora Minerva Ltda.

Bancos

Bancos com matriz no município: Banco Artur Scatena S/A.

Agâncias ou filiais de bancos no município: Banco do Estado de São Paulo S/A, Banco de São Paulo S/A.

Caixa Econômica Estadual

Número de Depositantes: 4.392.
Montante dos Depósitos: Cr$ 7.473.148,00.

Coletoria Federal

Total da arrecadação do Imposto de Renda: Cr$ 988.856,90.
Idem do Selo de Educação e Saúde: Cr$ 69.399,20.

Correios e Telégrafos

Classe de Agencia: 2ª

Montante da ultima arrecadação: Cr$ 382.395,60.

Serviço de Reembolso Postal: Tem

Montante de arrecadação de taxas de Reembolso Postal: Cr$ 198.825,10.

Outras Agências postais existentes no município: Agência Postal de 4.ª classe, no bairro Aparecida de Batatais.

Estradas de Ferro

Estradas de ferro que servem o município: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro.

Distância entre o município e a capital: 465 quilômetros.

Tempo médio de viagem: 11,32 horas.

Custo de passagens entre a capital e o município: Cr$ 134,00.

Número de trens diários entre o município e a capital: 4.

Estradas de Rodagem

Estradas estaduais que cortam o município: 1.

Distância entre o município e a capital: 398 quilômetros.

Tempo médio de viagem: 8 horas.

Estradas municipais que cortam o município: 21.

Transportes Rodoviários: Linhas de ônibus inter-municipais: 3. Empresa Santo Antônio, Empresa São José, Empresa Bologna. Empresa de Transporte de Cargas: Fernado Bologna & Cia. Ltda (urbano).

Aviação

Aéro Clube: Tem.
Número de aviações de treinamento: 2.
Alunos Inscritos: 12.
Pilotos já brevetados: 22.

Orçamento Municipal

Orçamento municipal para 1949: Cr$ 1.431.000,00.
Arrecadação em 1948: Cr$ 1.050.480,00.
Despesas em 1948: Cr$ 1.249.625,30.

Informações Político-Administrativas

Atual prefeito municipal: Dr. Jorge Nazar.

Vereadores municipais: Francisco Arantes Junqueira, Anselmo Testa, Antônio Josino Meireles, Antônio de Paula Cardoso, Armânio Venturoso, Benedito Marques de Sousa, Carlos Gaeta, Diniz Gaspar Gomes, José Jorge Lunes Abeid, Lemiro Antônio de Abreu, Luis Pimenta Neves, Oscar de Figueiredo Moura, Sebastião Alves de Oliveira.

Realizações da atual administração: Calçamento das vias públicas, arborização e ajardinamento das praças Capitão Antônio Teodoro de Lima, e praças São José, criação da biblioteca pública Dr. Altino Arantes (municipal), funcionamento do Ginásio Estadual de Batatais, aquisição de uma motoniveladora para reparação das estradas de rodagem, aquisição de novas bombas para abastecimento de água a população.

Número de eleitores qualificados: 11.001.

Zona eleitoral: 22.ª.

Seções eleitorais: 41.

Número de eleitores que compareceram ao último pleito: 7.993.

Educação

Escolas secundárias: Colégio e Ginásio São José, Ginásio Estadual de Batatais, Ginásio e Escola Normal Livre Nossa Senhora.

Escolas primárias: grupos escolares: Grupo Escolar Monsenhor Joaquim Alves, Grupo Escolar Rural. Particulares: Curso Primário do Ginásio Nossa Senhora Auxiliadora, Curso Primário do Ginásio São José, Externato Infantil. Número de alunos matriculados: 2.300.

Escolas urbanas: 6.

Escolas isoladas: 18.

Escolas rurais municipais: 8.

Número de crianças em idade escolar afastadas das escolas: 600.

Alfabetização em adultos: número de cursos: 1; matriculados: 120.

Associações culturais: Liga Batataense de Futebol, Batatais Tênis Club, Núcleo Filatélico de Batatais.

Associações esportivas: Profissional: Batatais Futebol Clube. Amadores: América Futebol Clube, Colegial Futebol Clube, Clube Atlético Corintians Paulista, Centro de Cultura Física Futebol Clube, Esporte Clube XV de Novembro, Macaúbas Futebol Clube.

Associações recreativas: Sociedade Recreativa 14 de Março, Sociedade Beneficiente Recreativa Operária, Sociedade Beneficente Recreativa Batataense.

Associação profissionais: Associação Comercial e Industrial de Batatais.

Saúde

Hospitais existentes no município: Hospital Major Antônio Cândido, mantido por Instituições beneficentes.

Subvenções que recebem: municipal: Cr$ 9.500,00; estadual: Cr$ 14.000,00; federal: Cr$ 46.443,00.

Montante de arrecadação do selo de educação e saúde no último exercício: Cr$ 69.399,20.

Informações Urbanas

Número de prédios existentes: 2.012.

Edifícios públicos: Prefeitura Municipal, Ginásio Estadual de Batatais, Mercado Municipal, Grupo Escolar Dr. W. Luis, Grupo Escolar Mons. Joaquim Alves, Grupo Escolar Rural.

Número de ruas: 64.

Número de praças: 14.

Número de jardins: 7.

Atrações turísticas: Principalmente nas margens do Rio Sapucaí, divisa do município: Ananazes, Barra do Ribeirão, da Fazenda Bom Jesus, da Balsa, Frutal, etc.

Hotéis: São José, Lazarini.

Imprensa: “O Jornal”, fundado em 1937. Diretor-Proprietário: Prof. Oswaldo Guerner Gonzalez.

Rádio: Sociedade Rádio Difusora Batatais Ltda. Prefixo ZYN & 8 Potências: 120 watts alimentadores da estação: 100 watts na antena.

Veículos licenciados: a motor: 364; tração animal: 728.

Monumentos: Herma do Dr. Paulo de Lima Correia, herma de Gustavo Simões e placa comemorativa do centenário do município, no edifício da Prefeitura.

Serviços Públicos

Abastecimento de água: Serviço explorado pela Prefeitura Municipal.

Iluminação: A cargo Cia. Paulista de Força e Luz.

Telefones: Serviço da Cia. Telefônica Francisco Teles de Menezes.

Calçamento: Entre praças e ruas existentes 13, calçadas principalmente e 10 calçadas inteiramente. Total de metros quadrados: 66.000, entre macadame e paralelepípedos.

Matadouro Municipal: Serviço explorado pela Prefeitura.

Cemitérios: 2, um municipal e outro paroquial.

Bibliotecas: Pública Municipal, Dr. Altino Arantes, Sociedade Recreativa 14 de Março, Ginásio São José e Escola e Ginásio Nossa Senhora Auxiliadora.

Museus: dos Ginásios.

Guarda noturna: Mantida por particulares.

Informações Religiosas

Organização da Igreja Católica: Paróquia Senhor Bom Jesus da Cana Verde de Batatais, subordinada à Diocese de Ribeirão.

Organização da Igreja Protestante: Igreja Metodista do Brasil.

Informações Diversas

Médicos: Drs. Brasílio Rodrigues dos Santos, Carlos Pereira Viana, Itamar Crivelenti, José Garcia de Barros, José de Melo Silva, Joção de Sousa Marques, Jorge Nazar, Luis Cândido Alves, Manuel Alves Pereira.

Engenheiros: Dr. Carlos Zamboni.

Dentistas: Drs. Andelermo Tomazela, Eurico Pereira de Almeida, Eletro Bonini, Ezio Giradi, João Gilberto Tambelini, João Inácio Neto, Júlio Pereira de Almeida Júnior, Lídio Ramos de Andrade, Orlando da Freiria e Manuel Garcia da Costa. Práticos: Álvaro de Oliveira Cardoso, Pergentino Pereira.

Farmácias: Lourdes, Dom Bosco, Fernando, São José, Santa Cruz, Lélis.

Laboratório de análise: Do Hospital Major Antônio Cândido e Centro de Saúde Local.

Instalações de Raios X: Hospital Major Antônio Cândido.

Cinemas: Cine São Joaquim, com capacidade para 600 pessoas.

Corporações musicais: Corporação Musical Cecília e Euterpe Batataense.

Conjuntos orquestrais: Orquestra Continental e Guanabara Jazz.

Grupos de amadores teatrais: 1.