Segunda-feira, 26 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Presidente da OAB/RJ diz que ameaça de bomba foi ato criminoso

x

sexta-feira, 9 de dezembro de 2005

Presidente da OAB/RJ diz que ameaça de bomba foi ato criminoso

O presidente da Seccional da OAB/RJ, Octávio Gomes, considerou um “ato criminoso” a ameaça de bomba na sede da Seccional, alardeada na noite de quarta-feira. A informação de que uma bomba havia sido instalada no edifício chegou à diretoria no exato momento em que mais 900 pessoas transitavam pelo local para participar de duas solenidades: a entrega de medalha a um advogado e a festa de confraternização dos funcionários e do quadro auxiliar da OAB fluminense, composto de cerca de 800 advogados.

Octávio Gomes estranhou o fato de a ameaça ter coincidido justamente com o momento em que um grande volume de advogados circulava pela sede da OAB/RJ e considerou de extrema gravidade o ocorrido. Isso porque a entidade sofreu um trauma há exatos 25 anos, quando uma carta-bomba matou a chefe da secretaria da a entidade, Lyda Monteiro da Silva.

“Trata-se, para mim, de um ato criminoso, pois brincar com uma instituição que já vivenciou uma tragédia causada por uma bomba é algo de enorme gravidade”, afirmou o presidente da OAB do Rio de Janeiro. “Quero crer que se tratou de uma tentativa de desestabilizar esses dois eventos e de desmobilizar as pessoas que lá estavam, confraternizando com a atual diretoria”, acrescentou Octávio Gomes, clamando por mais respeito para com a instituição.

A seguir, a íntegra do comentário feito pelo presidente da OAB do Rio de Janeiro, Octávio Gomes:

“Achei uma coincidência muito estranha o fato de ter ocorrido uma ameaça de bomba exatamente no horário em que transitavam pela sede da OAB-RJ mais de 900 pessoas. Tínhamos duas solenidades ocorrendo naquele momento, uma no quarto andar, onde um advogado recebia uma medalha, e outra no nono andar, onde acontecia uma confraternização entre os funcionários e o quadro auxiliar da OAB-RJ, composto de advogados, delegados de prerrogativas, etc. Quero crer que se tratou de uma tentativa de desestabilizar esses dois eventos e de desmobilizar as pessoas que lá estavam, confraternizando com a atual diretoria. Repito: foi uma coincidência estranha que, justamente no horário em que mais de 800 advogados estavam reunidos na OAB-RJ, tenha nos chegado a informação de uma ameaça de bomba. Foi algo muito sério e grave, pois esta é uma instituição que deve ser tratada com respeito. Isso porque já tivemos um trauma muito grande no passado, quando uma carta-bomba matou a chefe da secretaria de nossa entidade, Lyda Monteiro da Silva, há exatos 25 anos. Logo, uma ameaça de bomba é algo muito sério para nós, que já passamos por uma tragédia no passado. Quem transmitiu essa informação falsa agiu com grande irresponsabilidade. Trata-se, para mim, de um ato criminoso, pois brincar com uma instituição que já vivenciou uma tragédia causada por uma bomba é algo de enorme gravidade. Lamento profundamente o ocorrido e clamo para que tenham mais respeito para com a instituição e os advogados que trabalham diariamente em prol da classe e pela cidadania”.

_________________

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes