Sábado, 25 de janeiro de 2020

ISSN 1983-392X

SINSA

Ministro Barroso encerra 8º Congresso Brasileiro de Sociedades de Advogados

Com plateia lotada, ministro trouxe ideias e reflexões sobre os 30 anos da Constituição.

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Com plateia lotada, ministro Luís Roberto Barroso encerrou o último dia de palestras do 8º Congresso Brasileiro de Sociedades de Advogados, promovido pelo SINSA - Sindicato das Sociedades de Advogados dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Com o mote “30 anos da constituição cidadã: reformas legais e modernização das sociedades de advogados”, o evento aconteceu de 8 a 10/8, em SP.

E foi justamente esse o tema trazido pelo ministro do STF. Em suas reflexões, Sua Excelência ressaltou os pontos positivos destes seis lustros da Carta Magna. Confira abaixo a entrevista exclusiva ao Migalhas.  

Na cerimônia de encerramento, o presidente do Sindicado, Luis Otávio Camargo Pinto, fez um balanço das importantes personalidades que passaram pelo congresso, como a profunda reflexão trazida por Flavia Piovesan, seguida pela leveza de Clovis de Barros e pela esperança do ministro Paulo de Tarso Sanseverino, que falando sobre a dinâmica dos Recursos Repetitivos no novo CPC encerrou sua palestra citando Fernando Pessoa.

Ao anunciar o convidado mais esperado do dia, Luis  Otávio se colocou como um otimista, tal qual o ministro do Supremo. “Como o sr. já disse, se tirarmos uma fotografia do atual momento do país, ela não será bonita, mas se fizermos um filme, veremos que conseguimos tirar muita gente da miséria.”

Destacando importantes conquistas, Barroso comemorou o controle da inflação, a estabilidade monetária e a superação dos planos econômicos fracassados. “Derrotamos a pobreza, a extrema exclusão social. Conquistamos o maior índice de desenvolvimento humano na América Latina, elevamos a expectativa de vida e o grau de escolaridade.

Falou dos importantes avanços em matéria de direitos fundamentais, a começar pelos direitos das mulheres, sua ascensão no mercado de trabalho e liberdade sexual; inclusão de negros, pessoas LGBT, proteção de comunidades indígenas e liberdade de expressão.

Comemorou ainda o fim da ditatura. “Hoje, aqui e agora, estamos discutindo como combater a corrupção dentro do quadro constitucional, com o devido processo legal. Como elevar o patamar da ética pública e privada. Ou seja, de 70 pra cá a qualidade das nossas preocupações melhorou muito. Queremos mais e melhor.

t

t

___________

t

 

leia mais

patrocínio

Advertisement VIVO

últimas quentes