Terça-feira, 18 de junho de 2019

ISSN 1983-392X

Evo Morales consegue aprovar a nova Constituição do país, com o apoio de mais de dois milhões de bolivianos

Apesar da resistência da oposição em diversas regiões do país, o presidente da Bolívia, Evo Morales, conseguiu aprovar a nova Constituição do país, com o apoio de mais de dois milhões de bolivianos. O resultado final da consulta popular, realizada no dia 15 de janeiro, foi divulgado ontem, 2/2. De acordo com a Corte Nacional Eleitoral. o Sim venceu com 61,43% dos votos.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009


Bolívia

Evo Morales consegue aprovar a nova Constituição do país, com o apoio de mais de dois milhões de bolivianos

Apesar da resistência da oposição em diversas regiões do país, o presidente da Bolívia, Evo Morales, conseguiu aprovar a nova Constituição do país, com o apoio de mais de dois milhões de bolivianos. O resultado final da consulta popular, realizada no dia 15 de janeiro, foi divulgado ontem, 2/2. De acordo com a Corte Nacional Eleitoral. o Sim venceu com 61,43% dos votos.

A Constituição foi aprovada por cinco dos nove departamentos da Bolívia. Como era esperado, foi rejeitada nos quatro que decretaram autonomia em 2008: Santa Cruz, Pando, Beni e Tarija, os mais ricos do país. Localizados no Oriente, região produtora de petróleo e gás, esses departamentos concentram 25% da população boliviana e são contra iniciativas como a nacionalização dos recursos naturais e o corte no repasse de impostos obtidos com petróleo e gás.

A maior rejeição ao novo texto constitucional foi registrada em Beni, onde 67,33% dos votantes disseram não à nova Constituição. Em Santa Cruz, o índice de rejeição foi de 65,25%; em Pando, de 59,04%; e em Tarija, de 56,66%.

Curiosamente, esses estados – contrários à reforma agrária - aprovaram limites menores para a posse de terras, ainda que com altos índices de votos em branco (55,91% em Beni, por exemplo). O limite de 5 mil hectares foi aprovado pelos nove departamentos bolivianos, representando vitória importante do governo no sentido de acabar com os latifúndios.

Nessa questão, Morales obteve apoio de 1,95 milhão de bolivianos ( 80,65% dos votos válidos) para o limite de 5 mil hectares para propriedade de terra. Apenas 459 mil votantes (19,35%) se manifestaram a favor do limite de 10 mil hectares. Nessa questão, 893 mil bolivianos (25,46%) preferiram votar em branco e 188,5 mil (5,38%) anularam o voto.

Os bolivianos compareceram em massa ao referendo convocado por Morales. Dos 3.891.316 cidadãos habilitados a votar, 3.511.681 (90,26%) deram sua opinião quanto ao polêmico texto constitucional aprovado pelo Congresso da Bolívia em dezembro de 2007. O total de votos válidos foi de 95,70%, contra 2,61% de nulos e 1,70% de votos em branco.

O resultado final do referendo deve ser enviado até sexta-feira, dia 6/2, ao Congresso e, depois, encaminhado ao presidente Evo Morales para promulgação

___________
___________________

Leia mais

  • 26/1/08 - Evo Morales já comemora a vitória do sim no referendo realizado ontem sobre a nova Constituição no país – clique aqui

_________________

informativo de hoje

patrocínio

VIVO

últimas quentes