quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

COLUNAS

  1. Home >
  2. Colunas >
  3. Porandubas Políticas >
  4. Porandubas nº 301

Porandubas nº 301

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

E assim nasceu o Peru

Na última coluna do ano, brindo os leitores com a historinha do Peru (que será servido neste Natal), enviada pelo amigo Eduardo Nascimento, que não perde a oportunidade para exercitar sua verve :

Há um conto japonês milenar que é mais ou menos assim :

"Em uma planície, viviam um urubu e um pavão. Um dia, o pavão começou expressar certa angústia :

- Sou a ave mais bonita do mundo animal, tenho uma plumagem colorida e exuberante, porém nem voar eu posso, de modo a mostrar a minha incomparável beleza. Feliz é o urubu que é livre para voar para onde o vento o levar.

O urubu, por sua vez, também refletia no alto de uma árvore :

- Que infeliz ave sou eu, a mais feia de todo o reino animal; e ainda tenho que voar e ser visto por todos. Quem me dera ser belo e vistoso tal qual aquele pavão.

E aí as duas aves, pensando sobre suas conveniências e inconveniências, tiveram uma brilhante ideia : deveriam se juntar para realizar um cruzamento. O fruto que desse cruzamento surgiria seria uma ave esplendorosa, magnífica, um descendente que iria combinar o voo tão aerodinâmico do urubu com a graciosidade e elegância do pavão.

Cruzaram-se. E daí .....nasceu o peru ! Que é feio prá cacete e... não voa !

Moral da história, senhoras e senhores : se a coisa tá ruim, não invente !!! Gambiarra só dá merda !!!

CNJ sob restrição

O Conselho Nacional de Justiça só poderá fazer investigação de juízes depois que as denúncias sejam analisadas pela corregedoria do Tribunal onde atua o acusado. Esse entendimento que tolhe a ação do CNJ é do ministro Marco Aurélio Mello, que, em liminar, acolheu posição defendida pela entidade dos magistrados. Ou seja, o órgão de controle do Judiciário perde poder e funções. O caso será analisado pelo Plenário do Supremo após o recesso da Corte, em fevereiro.

Dilma pisa no freio

A presidente Dilma, com seu olhar de economista, pisa forte no freio. Manda cortar recursos aqui e ali, no intuito de enxugar o Orçamento e deixá-lo menos pesado para subir a ladeira da crise. O Brasil, como se sabe, passou ao largo da crise de 2008 navegando nas águas do acesso ao crédito abundante. O consumo foi impulsionado e a economia ganhou fôlego. Agora, porém, a receita tem outros condimentos. A presidente teme que o país não possa bancar mais a fartura do crédito fácil. Ordena cortes. O Programa de Aceleração do Crescimento, símbolo da era Lula, está devagar quase parando.

Mensalão vai ou não ?

Cezar Peluso, presidente do STF, quer acelerar andamento do mensalão. Pretende que o caso entre na pauta da Corte logo no primeiro semestre de 2012. De certo modo, é uma resposta ao ministro Ricardo Lewandowski, que alertou : alguns crimes previstos no pacote do mensalão poderiam prescrever caso não sejam julgados em 2012. Mas o relator Joaquim Barbosa responde de maneira contundente : os autos estão digitalizados desde 2006. Portanto, estão disponíveis eletronicamente na base de dados do STF. Barbosa terminou de examinar o caso. E está ultimando seu voto. Que será dividido em capítulos, de acordo com os núcleos que atuavam na quadrilha. Quem vai fazer a revisão de tudo é o ministro Lewandowski.

Falcão do PT

O jornalista e deputado estadual Rui Falcão (SP) consolida, a cada dia, sua força no comando do PT. Guindado à presidência com o afastamento de Zé Eduardo Dutra, Falcão, hábil articulador, viaja pelos Estados para contato com as bases. Prepara o partido para a maior batalha já enfrentada na frente municipal. O PT quer eleger mais de mil prefeitos.

O PMDB, 1300

Já o PMDB coloca como meta a eleição de 1.300 prefeitos.

MP sob rédeas

A CCJ da Câmara Federal aprovou projeto que impede o Ministério Público de fazer investigação criminal. Em 2009, o STF reconhecera que o MP tem poder investigatório. O setor político quer restringir a esfera de ação dos promotores.

D'Urso animado

Luiz Flávio Borges DUrso (PTB) motiva-se, a cada dia, com a campanha municipal de 2012. Candidato a prefeito de São Paulo pelo PTB, divisa grandes debates com os eventuais contendores Fernando Haddad (PT), Gabriel Chalita (PMDB), Celso Russomanno (PRB), Soninha Francine (PPS), Netinho de Paula (PC do B). A campanha terá, ainda, o candidato tucano (quem?), podendo ainda abrigar mais um, o candidato do PSD de Kassab. D''Urso domina bem a técnica de expressão em rádio e TV. É um bom orador. E a campanha municipal será, sobretudo, um espetáculo midiático. As melhores performances liderarão a disputa.

20 mil quartos de hotéis até 2015

O Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB) prevê a inauguração de 20.063 quartos de hotéis até 2015. A 3ª edição do Placar da Hotelaria projeta um crescimento de 59% em relação à oferta prevista no estudo anterior, publicado em fevereiro de 2011. As capitais com maior número de novas habitações até 2015 serão Belo Horizonte (2.974), Brasília (2.268), Recife (384), Rio de Janeiro (399), e São Paulo (876). Segundo Julio Serson, vice-presidente de Relações Institucionais do FOHB, o segmento hoteleiro já está qualificando mão de obra, de gestores a profissionais, para atender a demanda ocasionada pela Copa do Mundo de 2014. Ele apregoa a padronização do atendimento para receber bem e fidelizar o turista brasileiro e estrangeiro. Desde 2010, cerca de 2.500 profissionais das redes associadas ao FOHB já participaram de cursos de qualificação.

Inflação e deflação

O setor de serviços é, sem dúvida, um dos que mais gera empregos no Brasil, bem mais do que a indústria automobilística, que é protegida pelo governo, ora com redução de impostos, ora com aumento (para os importados). Mas este setor, ao prestar serviços para o Governo do Estado de São Paulo, sofre as consequências do decreto nº 48.326/03, onde se instalou um deflator que, a cada ano de contrato, faz o empresariado perder parte da remuneração que lhe é devida.

Ganho real

Os trabalhadores do setor de serviços, graças à ação legítima de seus sindicatos, vêm obtendo ganhos reais ano a ano, enquanto o empresariado perde. O lucro está sendo corroído a ponto de tornar inviável qualquer contrato com mais de um ano de duração. O reequilíbrio econômico está ameaçado. Do "couro sai a correia", diz o ditado. Quebrando a espinha dorsal do empresário, quebra-se a matriz do emprego.

Remédio judicial

Os empresários se organizam e pretendem recorrer à Justiça para equacionar este problema. Antes, aguardarão uma posição definitiva do Executivo. Na ausência de resposta, caberá ao Judiciário apreciar o caso. E, como se sabe, a Justiça acaba determinando fórmulas não convencionais para reajuste de contratos, propostas que podem desagradar às partes interessadas. Mais uma vez o ditado lembra : "mais vale um mau acordo do que uma boa demanda".

"Quando o Capital se acovarda, o Trabalho morre." (Olavo Bilac)

FMI : 150 bilhões de euros

Os empréstimos bilaterais ao FMI chegarão a ? 150 bilhões, sem contar com a participação do Reino Unido. Os ministros de Finanças europeus, em teleconferência realizada ontem, divulgaram comunicado sobre os empréstimos bilaterais dos países da Zona do Euro ao FMI, que totalizaram ? 150 bilhões e que visam aumentar os recursos voltados à ajuda financeira aos países em crise. Dentre os países da região, Portugal, Irlanda e Grécia não deverão contribuir, já que atualmente já passam por programas de ajuda financeira. A Itália, por sua vez, contribuirá com ? 23,5 bilhões, Espanha com ? 14,9 bilhões e a Alemanha com ? 41,5 bilhões. Vale lembrar que, em alguns países, o empréstimo terá de ser primeiramente aprovado pelo Parlamento. Além disso, República Tcheca, Dinamarca, Polônia e Suécia manifestaram interesse em contribuir. (Col. Dep. Pesquisa Bradesco)

O todo poderoso

Ainda há gente tentando entender quem é Adair Meira. Adair é dono (ou dirigente, como ele gosta de afirmar) da ONG Fundação Pró-Cerrado, sob investigação por negócios irregulares com o Fundo de Amparo ao Trabalhador, do qual recebeu milhões de reais para capacitar jovens aprendizes (o que, supostamente, não fez) para o Programa Nacional de Estímulo ao Primeiro Emprego, antecessor do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem). Mais conhecido por ter alugado um avião para que o ex-ministro Carlos Lupi pudesse passear no Maranhão, Adair já encontrou uma saída para não perder a fonte de renda : agora também é dirigente da Rede Nacional de Aprendizagem, Promoção Social e Integração (RENAPSI), selecionada pela Caixa Econômica Federal, por meio de chamada pública, para responder pela contratação e capacitação de jovens para o seu Programa Adolescente Aprendiz. Pois bem. O mistério continua sem solução : quem é a figura que teria embolsado milhões, não entregado o objeto do contrato, e conseguido, mesmo sob investigação, vencer uma licitação na CEF e ainda derrubar um ministro ?

"Seu Lunga"

Esta Coluna aposentou seu Lunga há bom tempo. Mas alguns colaboradores insistem em querer ressuscitá-lo. Depois de muita insistência de leitores, abrirei uma exceção na última Porandubas Políticas do ano.

Vai para a praia ?

Seu Lunga, quando era motorista de ônibus urbano, um passageiro pergunta :

- Esse ônibus vai para a praia ?

- Pode até ir, se você arranjar um biquíni que dê nele !

Isso não é sabonete

O cliente chega pra comprar um relógio na loja de seu Lunga.

- Pode tomar banho com esse relógio, seu Lunga ?

- Ô corno ! Isso é um relógio, não é um sabonete...

Conselho à comunidade nacional

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na última coluna, o espaço foi destinado aos deputados. Hoje, sua atenção se volta à comunidade nacional:

1. 2102 será um ano voltado para a política. O discurso político impregnará o nosso espírito. Portanto, toda a cautela se fará necessária para evitarmos comprar gato por lebre. Desde já, será interessante acompanhar a trajetória de pré-candidatos, suas primeiras ideias, as propostas iniciais. A mudança política requer intensa participação da comunidade nacional.

2. Aparecerão candidatos de todos os naipes, formatos e com promessas as mais variadas. Temos de depurar o joio do trigo, a falsa versão da verdade.

3. Urge avaliar os candidatos, suas propostas, atitudes, ações. Vale a pena conferir seu passado e sua visão de política. Suas ideias serão viáveis ? As propostas são convincentes ? Têm eles adequada visão das necessidades das comunidades ?

____________

Atualizado em: 20/12/2011 10:19