segunda-feira, 19 de abril de 2021

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 414

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

O candidato 'Pato'

"Em setembro de 2009, fui a Campo Grande/MS fazer palestra sobre marketing político no 7º Encontro da União das Câmaras de Vereadores de Mato Grosso do Sul. Num grande auditório, havia mais de 500 assistentes. Eu sempre digo que posso falar sobre marketing político durante vários dias sem parar, pois acumulei 33 anos de prática em mais de 100 campanhas. Então, dou os fundamentos que norteiam o trabalho e abro perguntas para que temas específicos, de interesse daquela comunidade, sejam abordados. Um dos vereadores presentes fez uma pergunta que, mesmo localizada, tem muita abrangência e me permitiu criar nova definição. Ele contou que, na sua cidade, o candidato a prefeito do partido era do tipo "sabe-tudo". Sabia fazer a comunicação, sabia fazer os acordos políticos, sabia o melhor lugar para o comício, sabia escolher a música, sabia o ponto fraco do adversário, sabia o que dizer na entrevista, sabia. Veio a pergunta : 'Como agir com um candidato assim?'. Criei a definição na hora : 'Esse é o candidato-pato'. Age exatamente como essa ave. Sabe andar, mas anda mal, todo desajeitado, balançando o corpo grande. Sabe voar, mas voa mal, tem voo curto e raso, não voa alto, nem a longas distâncias. Sabe nadar, mas nada mal, não mergulha e não é rápido. Bota ovo, mas bota mal, pois o ovo é grande demais e muito pouco frequente. Foi uma gargalhada geral, pois o "candidato-pato" também é muito frequente, como o pato, que está nos quintais, mas também nos jardins e praças públicas. Como agir com ele ? Ah, eu levo na gozação e vou tocando, devagar e sempre, assim como se toca um bando de. patos ! Com a ave de verdade, pelo menos, há possibilidade de se fazer um confit de canard - delicioso prato francês no qual a ave é cozida em fogo brando. Meu marketing político é assim : sempre com alegria, sempre aprendendo, sempre inventando novidades". Grande Chico !

Mutantes em cena

O cenário político-eleitoral tende a mudar. Nas próximas duas semanas, teremos de analisar para onde irão migrar os votos de Aécio Neves. Os tucanos ainda apostam na "virada da razão", pela qual o senador mineiro resgataria sua pontuação de dois meses atrás. Quase impossível. O tempo é curto. Ademais, Dilma e Marina, em duelo aberto, praticamente ocuparam o tabuleiro de xadrez, garantindo, assim, a jogada final do segundo turno. Muitos apostam na migração de votos de Aécio para Marina. Este consultor acredita que eles se repartirão entre as duas candidatas.

Margens com Dilma

Os grupamentos e famílias que estão laçados pelo programa Bolsa Família, particularmente na região Nordeste, tendem a fechar com Dilma. São os beneficiários da equação BO+BA+CO+CA (Bolso, Barriga, Coração, Cabeça). No NE, Dilma tem cerca de 50% dos votos, margem que lhe dará força para suportar as urnas mais vazias no Sudeste. Assim, Dilma tende a ganhar um "voto de coração" mais denso que o voto para Marina.

Centro com Marina

Já os setores que habitam o meio da pirâmide tendem a se direcionar para Marina, principalmente no Sudeste. Em SP, a rejeição ao PT e, consequentemente, a Dilma chega a ultrapassar 35%. Nunca se viu índice tão alto. Mas Dilma também terá muitos votos das faixas centrais, principalmente junto aos bolsões do petismo, que adentrou forte nas estruturas governativas, a par da classe média emergente, tendente a dar também um voto de reconhecimento.

Por que a rejeição ?

Por que a rejeição ao PT chegou a índices tão altos no pleito deste ano ? Porque o PT foi arrastado para a lama pelos escândalos que têm corroído a imagem de políticos e partidos. O PT está no centro das denúncias. Colhe os resultados dos eventos negativos que têm manchado a imagem do governismo. Para piorar, o prefeito Fernando Haddad, em pleno ano eleitoral, toma medidas antipáticas, a partir das decisões sobre avenidas e ruas, complicando o já congestionado trânsito de SP. É um cabo eleitoral do contra.

O rolo compressor

Este consultor sempre lembra a força do rolo compressor das máquinas governativas em final de campanha. Nesse caso, no segundo turno, Dilma ganhará um empuxo da máquina. São milhares de funcionários públicos que querem preservar seus empregos. São milhares de ativistas partidários nas bases. São militantes de outros partidos que, na reta final, costumam dar sangue para que seus candidatos (governistas) ganhem. Diante dessa hipótese, é possível dizer : Dilma conta com essa força a mais no frigir dos ovos.

Pendendo para Dilma

É até possível que parcela dos votos do tucano Aécio migre para Marina no segundo turno. Mas há de ser considerada a hipótese de integração dos partidos aliados de Dilma. No primeiro turno, por conveniências locais, muitos saíram da frente de apoio situacionista. No segundo turno, face ao pensamento restritivo de Marina sobre partidos, é evidente que alguns, desconfiados, tendem a se reunir sob o abrigo de Dilma. Ademais, a presidente tem boa vantagem em municípios de até 50 mil habitantes, reduto da velha política. Onde os partidos têm sua maior base. Mais um ponto de vantagem para a petista.

Bancada no Senado

A se confirmarem as tendências apontadas pelas últimas pesquisas, assim será o próximo Senado : PMDB, continuará com 19 senadores ; PT, de 13 passará para 14 ; o PSDB continuará com 12 ; o PSB sairá de 4 para 7 ; o PDT diminuirá de 6 para 3 ; o PR e o DEM poderão continuar com 4 ; o PTB sofrerá a maior queda, de 6 para 2 ; o PSC deverá ter 2 ; o PP poderá continuar com 5 ; o PSD tende a elevar de 1 para 2 ; o PSOL, o PC do B, o PPS, o PRB, o PV, o PROS, o SDD deverão, cada, ter 1 senador. Já o PMN e o PRTB não deverão ganhar representantes.

Governo e oposição

Se Dilma ganhar, deverá contar com uma bancada de cerca de 50 senadores ; Marina e Aécio contariam, juntos, com cerca de 30.

Na Câmara

Já a próxima legislatura deverá continuar com o PT e o PMDB liderando as duas maiores bancadas. O PT sonha em chegar a 100 deputados. Pode ter entre 85 a 90 ; e o PMDB deverá contar com cerca de 80 a 85. Mas o candidato com melhores condições (eleitorais) para presidir a Câmara será Eduardo Cunha, do PMDB do RJ, atual líder do partido na Casa.

Paulo Roberto na CPI

O que vai acontecer nesta quarta ? Paulo Roberto Costa irá à CPI mista que investiga a Petrobras. Mas não deverá dizer muita coisa. Sob pena de quebrar o sigilo da delação premiada. Confirmará os nomes de políticos por eles citados ? É mais provável que fique calado. A conferir.

Maluf sai ou fica ?

O procurador-Geral eleitoral, Rodrigo Janot, encaminhou ao TSE parecer desfavorável à candidatura do deputado Federal Paulo Maluf (PP) nas eleições de outubro. Com base na Lei da Ficha Limpa, Maluf seria inelegível em face da condenação por ato doloso de improbidade administrativa que gerou enriquecimento ilícito e lesão ao patrimônio público.

Façam seus cálculos

O eleitorado brasileiro é de 142.783.995 eleitores. O Sudeste abriga 62.066.251, ou 43,47% do eleitorado ; o Nordeste tem 38.218.398 eleitores, ou 26,76% dos votantes ; o Sul tem 21.127.282 eleitores, ou 14,79% dos votantes ; o Norte abriga 10.794.131 eleitores, ou 7,56% dos eleitores e o Centro-Oeste tem 10.240.481, ou 7,17% dos votos. Teremos uma abstenção, votos nulos e brancos em torno de 20%. Façam suas contas, usando os números das últimas pesquisas. Na última, do Datafolha, Dilma avançou para 36%, enquanto Marina ficou nos 33%, empate técnico. No segundo turno, a candidata do PSB teria sete pontos de vantagem : 47% contra 43%. Mas Dilma conta com o rolo compressor da máquina.

24º EESCON

"Em busca de novos caminhos" é o tema central do 24º EESCON - Encontro das Empresas de Serviços Contábeis do Estado de São Paulo, considerado o maior evento do segmento empreendedor contábil de SP e o segundo maior do Brasil. Realizado a cada dois anos pelo Sescon/SP, sindicato da categoria, a abertura ocorre, hoje, quarta, no Campos do Jordão Convention Center, em Campos do Jordão/SP. Até 19/9 são esperados cinco mil visitantes, entre empresários, gestores e profissionais da área contábil. Haverá ainda feira de negócios, demonstrações e comercialização de produtos e serviços.

Agências : temporada de inverno ruim

Para 63% das agências de viagens e operadoras turísticas do Brasil, as vendas caíram durante a temporada de inverno deste ano, na comparação com o mesmo período de 2013, segundo pesquisa feita pelo Ipeturis - Instituto de Pesquisas, Estudos e Capacitação em Turismo, por encomenda do Sindicato das empresas de Turismo no Estado de São Paulo (Sindetur/SP). "Apontada por 46,4% dos entrevistados, a Copa do Mundo no Brasil foi o principal motivo para a queda nas vendas durante a temporada", destaca Marciano Freire, presidente do Ipeturis. Outros motivos que contribuíram para os baixos resultados foram : ano de eleições (8,5%), cenário econômico negativo no país (8,5%), preços altos das tarifas aéreas (7,5%) e a alta do dólar (5,2%).

CONETT 2014

Nos dias 25 e 26/9, a cidade de SP recebe empresários internacionais para o debate da terceirização e do trabalho temporário na América Latina. O CONETT 2014 é uma realização do Sindicato das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário de São Paulo (Sindeprestem). Local : Grand Mercure São Paulo Ibirapuera (rua Sena Madureira, 1355).

Até D. Orani ?

Meu Deus. Quanta violência. O cardeal arcebispo do RJ, D. Orani Tempesta, foi assaltado no bairro de Santa Teresa, na zona sul, na noite de segunda-feira, 15, por três homens armados. D. Orani estava acompanhado do motorista, de um fotógrafo e de um seminarista. Todos foram roubados. O arcebispo, embora não esboçasse reação, chegou a ter uma pistola apontada para a cabeça. Ele entregou aos assaltantes o anel cardinalício e o colar com o crucifixo peitoral. Ladrões levaram celulares, carteiras, relógios, uma câmara fotográfica, o paletó do motorista e até a batina do seminarista.

Lições de marketing

Discurso

Costumo bater nessa tecla. Muita gente se engana com a eficácia do discurso político. O discurso político é uma composição entre a semântica e a estética. O que muitos não sabem é que a eficácia do discurso depende 7% do conteúdo da expressão e 93% da comunicação não verbal. Esse é o resultado de pesquisas que se fazem sobre o tema desde 1960. E vejam só : das comunicações não verbais, 55% provêm de expressões faciais e 38% derivam de elementos paralinguísticos - voz, entonação, gestos, postura, etc. Ou seja, do que se diz, apenas pequena parcela é levada em consideração. O que não se diz, mas se vê, tem mais importância. Portanto, senhoras e senhores assessores dos programas eleitorais, anotem a informação.

Consolidação telefonia celular

Fora do cenário eleitoral, a ação ON da Oi dispara 13,25%, liderando as maiores altas da Bolsa. Segundo o jornal italiano Il Sore 24 Ore, a Telecom Itália, dona da TIM Brasil, está analisando uma parceira com a Oi. O objetivo da aproximação é evitar que a TIM Brasil se torne apenas um alvo de compra e negociação. Ao invés disso, os esforços visam a fazer com que a empresa seja um fator importante no processo de consolidação do setor de telefonia no país.

Atualizado em: 17/9/2014 07:46

Publicidade