terça-feira, 20 de abril de 2021

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 79

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006


LULÔMETRO

Lula diz que, aos 60, o homem tende a ficar no centro. Os sessentões de esquerda têm problemas. Da mesma forma que um jovem de direita também é problemático. O Lulômetro está afiadíssimo. Imaginem como deve se sentir o grande Oscar Niemeyer, no pico da glória de seus 90 anos e picos. Pela ótica do nosso presidente, deveria ser internado num asilo pela carga de problemas que acumula. Medir o espectro ideológico pela idade merece passaporte para o Febeapá, o Festival de Besteiras que Assola o País, invenção do saudoso Stanislaw Ponte Preta.

COALIZÃO DÁ SEDE

Hoje, o presidente se reunirá com os presidentes de partidos que formam a coalizão governamental. Michel Temer, o presidente do PMDB, propõe que se discuta um ideário nessa reunião e não a distribuição de cargos aos partidos. Tem a convicção de que uma reunião para debater espaços partidários no governo, com os presidentes das siglas, agride a diplomacia governamental. Mais adiante, definida a pauta central com os temas prioritários, o presidente poderia chamar cada partido, isoladamente, identificando os núcleos técnicos e sua integração nos espaços administrativos. Trata-se de uma idéia que irá adiante, pois a sede partidária buscará água no pote antes que ela se esgote.

ALDO, O MAIS PROVÁVEL

Aldo Rebelo, com seu perfil de guardião do Santo Sepulcro, viabiliza, a cada dia, sua volta ao comando da Câmara. Trata-se de um parlamentar que preza a cordialidade. E fez uma boa administração.

DIGA AO POVO QUE FICO

Gilberto Gil, depois de abanos e salamaleques, está disposto a continuar no Ministério da Cultura. Encenou uma saída, esperneou, falou, reuniu-se com um montão de amigos artistas e conseguiu boa base para dizer ao presidente que ele, GG, é imbatível. Até adversários pediram a Gil para continuar ministro.

DELFIM, O NOVO AMIGO

Delfim Netto, já dissemos, será aproveitado na administração lulista. Em qualquer espaço, estará pertinho de Lula, como um super-consultor. São amigos desde os tempos em que brincavam no jardim de infância, Delfim fazendo contas e Lula fazendo greves. O Lulômetro fez o milagre da reaproximação.

MOVIMENTOS SOCIAIS, DE BICO CALADO ?

Os movimentos sociais se reuniram com Lula para exigir cumprimento de sua pauta. Avanços, mudanças, defesa do meio ambiente, reforma agrária, enfim, passos do governo na esfera esquerda do arco ideológico. Lula, porém, se considera cada vez mais um freqüentador do centro. Eta, briga boa ...

O DITADOR VAI EMBORA, MAS AS LEMBRANÇAS FICAM

O velho ditador Augusto Pinochet vai embora, mas a violência que cometeu deixa marcas indeléveis que nem chuvas fortes e nem ventos desérticos apagarão. A história não perdoa ditadores cruéis.

QUE DEUS NOS LIVRE

Um novo apagão aéreo nas proximidades do Natal será uma pá de cinzas na imagem governamental. O capital de quase 60 milhões de votos deixará um terço de perdas nos guichês das companhias aéreas.

PMDB EM DÚVIDAS

O PMDB é um partido cheio de dúvidas. A mais recente é sobre a oportunidade de lançamento de um candidato próprio à presidência da Câmara. Parcela quer que o candidato seja lançado apenas em janeiro, quando os acertos estiverem adiantados. Isso, claro, se houver condições para a vitória de um candidato próprio.

NO AR, NO MAR ... E NA TERRA ?

O país viu a tragédia do avião que despencou no meio da selva. Acaba de ver a tragédia catamarã, que carregava 132 pessoas no mar da Bahia, entre Morro de São Paulo e Salvador. Tragédias no ar e no mar, mesmo que, nesta última, os passageiros tenham sido resgatados. Batam na madeira ... três vezes. Deus nos livre de uma tragédia na terra. Alguém poderá dizer : ninguém nos livrará do apagão energético. Bom, mas esse está previsto para 2008.

O ENTERRO À PRESTAÇÃO

Pagar o sepultamento no prazo entre 6 e 12 meses é ilegal, segundo a Prefeitura, pois o projeto de lei, de autoria do vereador Agnaldo Timóteo (PR), prevê renúncia de receita sem detalhamento do impacto financeiro. O projeto abrigava famílias com renda mensal de até 5 salários mínimos. Registro a informação sentindo no clima do velório certa pitada de escatologia. Imaginem a cena - entre tétrica e cômica - do contador da Prefeitura se queixando ao prefeito : "As contas não fecham porque há 2 mil defuntos ainda com contas a pagar. Ou seja, suas famílias deixaram os caixões semi-abertos...". Vamos convir : um país que discute o pagamento do enterro de mortos em prestações ainda vive um estado de barbárie. Vai demorar a ser uma Nação.

ÉTICA OU VAIDADE ?

Falta de ética ou exagero de vaidade ? A foto que mostra os progressos de Isabelle Dinoire, de 38 anos, a francesa que foi desfigurada por mordidas de cachorro, teve a distribuição suspensa e retirada dos sites, depois de denúncias de que teriam sido retocadas por computador. O jornalismo exagerou e falhou no campo ético ? A paciente chegou a aprovar a foto com os retoques ? O tema merece entrar na pauta da ética médica e da ética jornalística.

OPOSIÇÃO NA BOLÍVIA

Evo Morales começa a enfrentar forte oposição na Bolívia. Quatro governadores da mais rica região do país, conhecida como Meia Lua, querem formar uma junta de autonomia, algo como um princípio separatista. Não vai ser mole sustentar a força da riqueza. Evo quer mudar a Constituição para torná-la instrumento das reformas que pretende realizar no Estado. Os militares darão apoio ao presidente ? Esse é o busílis.

BIOGRAFIA POLÊMICA

Estaremos condenados a assistir a pendenga entre Roberto Carlos, a Editora Planeta e o jornalista Paulo César Araújo. O Rei detestou a biografia "Roberto Carlos em Detalhes", que o jornalista garante ser a mais profunda e a mais verdadeira de todas as versões já escritas sobre o cantor e compositor. Oferece-se um disco bolacha (78 rpm), com as primeiras musicas do próprio, para quem descobrir "os detalhes" - não aqueles da música preferida pelos fãs - que fazem RC rugir de raiva.

BRASIL ARCAICO VERSUS BRASIL MODERNO

A temporada dos cruzeiros marítimos começou. Convidado para participar da abertura da temporada 2006/2007 do majestoso navio Island Star, da Island Cruises, com capacidade para abrigar 1.875 pessoas, vi dois Brasis. No primeiro, visualiza-se o país moderno e com olhos para o futuro, que traz para cá os maiores transatlânticos do mundo, por conta de uma visão estratégica e pioneira de empreendedores do turismo. No segundo, vê-se um país arcaico, velho, obsoleto, desgastado, que emerge na fotografia da infra-estrutura de acolhimento aos milhares de passageiros que começam a descobrir o conforto e o lazer dos cruzeiros. O porto de Santos, o maior do Brasil, de onde saiu o Island Star para um tour de dois dias até Ilhabela, não está preparado para o ciclo dos cruzeiros. E, vejam bem, ainda é o melhor e o maior do país. Imaginem os outros.

ESTÉTICA DO SÉCULO PASSADO

Os espaços do porto foram construídos para a cabotagem de cargas. Espaços sujos, poeira alta, galpões improvisados, pouquíssimos e precários aparelhos de raios x para acolher filas intermináveis e, ao fundo, uma alta montanha de contêineres - desenham uma paisagem que está mais para a estética do princípio do século passado do que para os ambientes bem planejados dos portos internacionais. O empresariado brasileiro, porém, não se dobra às curvas do atraso. Tem confiança nos potenciais do país. Essa é a palavra de fé de Eduardo Nascimento, presidente da Abremar (Associação Brasileira de Representantes das Empresas de Marítimas) e da Sun & Sea, empresa que patrocinou o evento.

____________

Atualizado em: 13/12/2006 07:49

Publicidade