Segunda-feira, 14 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Vai passar

Sylvia Romano

Tem dias que o caos se instala. Você acorda bem-disposta, cheia de planos e com uma agenda muito prazerosa. Entra no banho e falta água, a empregada não aparece, acabou o leite e por aí afora. Lá se foi por água abaixo o belo dia que prometia. O humor foi para o ralo, literalmente, por coisas tão pequenas.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009


Vai passar

Sylvia Romano*

Tem dias que o caos se instala. Você acorda bem-disposta, cheia de planos e com uma agenda muito prazerosa. Entra no banho e falta água, a empregada não aparece, acabou o leite e por aí afora. Lá se foi por água abaixo o belo dia que prometia. O humor foi para o ralo, literalmente, por coisas tão pequenas.

Resolvo, então, ler os jornais e só vejo desgraças, roubos, assassinatos, estupros, políticos corruptos, escândalos de famosos, guerras infindáveis no Oriente Médio e outras "coisitas más". Isto sem falar nas contas que insistem a entrar por baixo da porta, pelo e-mail e por outros meios.

Finalmente a água volta, a empregada chega atrasada trazendo o leite da padaria e, apesar de não ser desnatado, continua sendo leite e tomo mesmo assim. São pequenas coisas que, de repente, nos surpreendem, mas acabam se solucionando. Todos já tivemos um dia ou, pior ainda, vários dias assim em nossas vidas. Felizmente essas mazelas cotidianas sempre acontecem e passam. Estragam o nosso dia e brevemente são superadas por novos acontecimentos. Isso é a vida, ou melhor, a nossa vida, e de certa forma ela vai se resolvendo.

Fatos externos também nos bombardeiam diariamente. A questão política, por exemplo, é uma das várias que nos afligem e que acabam com o nosso bom humor. Até quando vamos ter de aguentar esses políticos, velhos e novos, que se instalaram no poder e são adeptos do refrão "daqui não saio daqui ninguém me tira"? Cada vez mais ricos e poderosos, graças à participação e concordância com a quadrilha que também se colocou no poder. Apoiados por muitos assessores, guarda-costas e toda uma gana de "aspones", acabam lá ficando por um longo tempo, alguns até morrer... E como duram esses facínoras!

E o que devemos fazer para apressar o fim dessa realidade política? Em primeiro lugar, ver o que aqueles que pretendem a reeleição fizeram em seu mandato. Quantas promessas foram cumpridas, em quais escândalos estiveram presentes, quanto compareceram às sessões e como contribuíram para a melhoria das coisas. Em segundo lugar, analisar os novos candidatos, suas propostas, seu passado, sua fidelidade partidária, seu compromisso com a ética, coerência no seu discurso e, principalmente, sua formação escolar. Basta de ignorantes e famosos no poder!

Dias melhores, espero, virão. As eleições de 2010 estão aí. O nosso envolvimento político e o nosso interesse em conhecer a realidade do poder é o que nos permite afirmar: Vai passar!

_________________




*Advogada do escritório Sylvia Romano Consultores Associados










______________