Migalhas

Sábado, 22 de fevereiro de 2020

ISSN 1983-392X

Denúncia

Carteira da OAB é vendida no Facebook

Venda de registros da OAB emitidos pelos órgãos de SP, GO e MG é anunciada pelo usuário Luis Oab Meirelles no Facebook.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

"Para aqueles que não conseguem passar pelo exame e não tem mais tempo para perder podemos lhe ajudar." A proposta se trata de venda de registros da OAB emitidos pelos órgãos de SP, GO e MG, conforme anuncia perfil sob o nome Luis Oab Meirelles no Facebook.


(Clique na imagem para ampliar)

A oferta chega a mais de 350 amigos do administrador da página, que garante aos internautas se tratar de "assunto completamente sério" e "autêntico".

"Para quem já foi reprovado no exame diversas vezes entende o que estou propondo! Trabalhamos com o registro junto a Ordem dos Advogados do Brasil - OAB - onde temos o convenio com os órgãos de algumas províncias."

Denúncia OAB/GO

Em nota enviada ao portal Migalhas, a assessoria da presidência da OAB/GO repudia a atitude perpetrada pela internet e ressalta que a única maneira lícita de se obter o registro profissional de advogado é por meio da devida aprovação no Exame de Ordem. "A venda de carteiras pela internet, como anunciada, é crime e, portanto, deve ser apurada pelas autoridades competentes."

"A OAB/GO denunciará à Polícia Federal a prática criminosa realizada por um perfil nas redes sociais. Ao que tudo indica, a venda de carteira é um golpe e a Ordem cobrará a devida apuração e punição dos responsáveis. A OAB-GO orienta aos cidadãos que não busquem meios escusos como esse de adquirir a carteira, já que a prática é crime."

A OAB/SP também denunciará a prática à PF e ao MP. Veja nota da seccional sobre a questão:

"Sobre a matéria 'Carteira da OAB é vendida no Facebook', veiculada pelo site Migalhas (9/6), a OAB SP considera a denúncia sem fundamento. Certamente, foi inserida nas redes sociais de forma irresponsável, com o intuito de criar falsa situação e atacar a imagem da instituição, o que já constitui um ato ilícito. E, para dirimir qualquer dúvida sobre o episódio, a OAB/SP está encaminhando o caso para a Polícia Federal e para o Ministério Público no sentido de que sejam apurados todos os fatos; inclusive autoria do perfil, que propõe fazer o “registro irregular” dos bacharéis nos quadros da OAB."

patrocínio

últimas quentes

-