terça-feira, 11 de maio de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Improcedente

Homem que se feriu ao pular em trampolim não será indenizado

Decisão é do juiz de Direito Felipe Albertini Nani Viaro, da 26ª vara Cível de São Paulo/SP.

sábado, 3 de agosto de 2019

Homem que se machucou ao pular em parque de trampolins não será indenizado. Decisão é do juiz de Direito Felipe Albertini Nani Viaro, da 26ª vara Cível de São Paulo/SP.

t

Consta nos autos que o homem compareceu ao estabelecimento para se divertir em uma piscina de espuma e cama elástica. Durante a atividade, chocou-se contra uma parede de escalada, fixada ao final da piscina. Ele teve seu nariz trincado além de dois dentes quebrados e um afundado. Na Justiça, requereu indenização por danos morais e estéticos, alegando que não havia proteção na parede contra a qual se chocou e nem profissionais aptos a efetuar os primeiros socorros no local.

Ao analisar o caso, o juiz considerou ser incontroverso o acidente, sendo que os documentos juntados, em especial a mídia e as fotografias, demonstram que o autor sofreu as lesões alegadas.

O magistrado verificou que, tanto antes, quanto durante sua permanência nos brinquedos, o autor e sua família foram informados das condições de uso do local; e observou que, conforme depoimentos prestados, ficou comprovado que houve um primeiro suporte ao autor e sua família, os quais optaram em ir diretamente ao hospital. "Desse modo, embora se lamente o ocorrido, não há como imputar a responsabilidade à ré."

Conforme o julgador, ainda que haja vídeos na internet mostrando pessoas realizando manobras, o próprio site do parque orienta os clientes a não pulares de cabeça nem realizarem manobras fora de suas limitações ou habilidades pessoais. Assim, julgou improcedentes os pedidos.

O advogado Conrado Almeida Pinto atuou na causa pelo estabelecimento.

Confira a íntegra da sentença.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 1/8/2019 14:58

LEIA MAIS