domingo, 18 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Ofício

OAB pede participação nas discussões no CNJ sobre implementação de inovações tecnológicas

Ordem alega que muitos advogados não dispõem de equipamentos para realização de atos virtuais.

sexta-feira, 24 de abril de 2020

A OAB encaminhou nesta quinta-feira, 23, ao presidente do CNJ, ministro Dias Toffoli, ofício por meio do qual pede a participação da OAB nas discussões, elaboração e implementação de novidades tecnológicas e plataformas eletrônicas a serem utilizadas como suporte para a produção de atos judiciais durante a pandemia da covid-19.

No documento assinado pelo presidente nacional, Felipe Santa Cruz, afirma a Ordem que "é preciso tempo para que a advocacia conheça e se adapte às novas regras do mundo virtual, sobretudo diante da diversidade de sistemas adotados". Assim, solicita a efetiva interlocução e o diálogo constante e preparatório do CNJ com a classe.

No mesmo sentido, solicita a edição de recomendação dirigida aos tribunais brasileiros para que adotem idêntica providência, em contato com os Conselhos Seccionais da OAB, permitindo a inclusão segura da advocacia nas novas tecnologias.

t

Alterações tecnológicas

O presidente afirma que, a título de exemplo, "milhares de profissionais da advocacia não dispõem de equipamentos dotados de webcam, microfone ou conexão eficiente com a internet para participação em atos telepresenciais, sobretudo em suas residências".

Ademais, o documento pontua uma série de fatores que poderiam ocorrer e ser afetados devido às realizações de atos em meio virtual, como audiência de instrução, contaminação de prova testemunhal, e possibilidade de desabilitação do microfone do advogado - hipótese que evidenciaria violação ao direito de protesto.

Diz a Ordem que é "impensável exigir das partes o suporte tecnológico e custoso para a realização de audiências virtuais", e que "esse ônus não pode e não deve ser repassado integralmente aos profissionais da advocacia".

Por fim, considerando que o CNJ disponibilizou "Plataforma Emergencial de Videoconferência para Atos Processuais", com prazo de validade ligado à pandemia, solicita a entidade a adoção dessa plataforma como padrão nacional, sempre facultando ao advogado a concordância da realização desses atos em meio virtual.

____________

Para que o leitor encontre as notícias jurídicas específicas sobre coronavírus, reunimos todo o material em um site especial, constantemente atualizado. Veja, clique aqui: www.migalhas.com.br/coronavirus 

t

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 27/4/2020 07:29

LEIA MAIS