quinta-feira, 22 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Ministério da Justiça

Lewandowski arquiva ação que questionava exoneração de Maurício Valeixo

S. Exa. entendeu que mandado de segurança impetrado por deputado Federal carece de legitimidade.

sexta-feira, 24 de abril de 2020

t

Ministro Ricardo Lewandowski, do STF, negou seguimento a MS do deputado Federal Aliel Machado Bark contra o ato de exoneração de Mauricio Valeixo do cargo de diretor-Geral da Polícia Federal.

Para S. Exa., o parlamentar não poderia, na condição de cidadão ou de deputado Federal, impetrar MS em face de ato do presidente da República na defesa de interesse de toda a coletividade.

Lewandowski assentou ainda que, além da ilegitimidade do autor, a pretensão também refoge aos estreitos limites do mandamus, ante a ausência de liquidez e certeza do direito pleiteado.

Veja a decisão.

Polêmica

A saída de Valeixo do comando da PF foi o estopim do rompimento de Sergio Moro com o governo Bolsonaro. Quando Bolsonaro informou ao então ministro da Justiça que trocaria o comando da Polícia Federal - atropelando toda a hierarquia do ministério comandado por Moro -, o ex-juiz Federal resolveu sair do cargo. 

Valeixo foi indicado por Moro e de sua confiança. Sua exoneração foi publicada hoje no Diário Oficial, segundo o decreto, "a pedido" do próprio Valeixo. Em seu pronunciamento, Sergio Moro disse que "não pode aceitar a substituição", que foi feita sem justificativa, por motivação política.

Tanto que, segundo o ex-magistrado, a exoneração foi publicada no DOU com falsificação de sua assinatura. Por sua vez, Bolsonaro defendeu que a saída do diretor da PF era conhecida de todos. No fim da tarde desta sexta-feira, 24, porém, a exoneração de Maurício Valeixo foi republicada no Diário Oficial - sem a assinatura de Moro.

 

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 24/4/2020 20:01

LEIA MAIS