Sábado, 20 de setembro de 2014 Cadastre-se

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

Tudo a ver ou tudo haver?

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010


Tudo a ver ou tudo haver?

1) Um leitor pergunta qual a forma correta de dizer: tudo a ver ou tudo haver? Pode-se acrescentar à indagação: nada a ver ou nada haver?

2) No sentido de uma coisa ter ou não relação com outra coisa, as expressões tudo a ver e nada a ver são os modos corretos, e não tudo haver ou nada haver. Exs.: I) "A presença do réu no local do crime tem tudo a ver com a prática deste" (correto); II) "A presença do réu no local do crime tem tudo haver com a prática deste" (errado); III) "A presença do réu no local do crime não tem nada a ver com a prática deste" (correto); IV) "A presença do réu no local do crime não tem nada haver com a prática deste" (errado).

3) Em seu tom brincalhão de criticar erros de Gramática, anota Arnaldo Niskier que "nada haver é que não tem nada a ver com a norma culta".1

4) Complementam José de Nicola e Ernani Terra que, na mencionada expressão, "não ocorre o verbo haver e sim o verbo ver precedido da preposição a". Exs.: a) "Seu argumento não tem nada a ver com o caso" (correto); b) "Seu argumento não tem nada haver com o caso" (errado).2

________

1 Cf. NISKIER, Arnaldo. Questões Práticas da Língua Portuguesa: 700 Respostas. Rio de Janeiro: Consultor, Assessoria de Planejamento Ltda., 1992, p. 49.

2 Cf. NICOLA, José de; TERRA, Ernani. 1.001 Dúvidas de Português. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2000, p. 154.

______

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas.