Quarta-feira, 30 de julho de 2014 Cadastre-se

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

Por isso ou Porisso?

quarta-feira, 4 de julho de 2012

dúvida do leitor

A leitora Delaine Maciel envia a seguinte mensagem ao Gramatigalhas:

"Na escrita, usamos ‘por isso’ separado? Existe alguma situação em que usamos junto (porisso)?"

envie sua dúvida

Por isso ou Porisso?

1) A grafia oficial, no § 574, adotou a forma analítica, em dois elementos, para tal conjunção. Ex.: "O réu não contestou a ação; por isso a sentença lhe aplicou os efeitos da revelia".

2) Oportuno, em corroboração, é lembrar a respeito a incisiva lição de Vasco Botelho de Amaral: "Evidentemente deve escrever-se por isso, e não porisso, erro de grafia, como se grafa por isto, e não poristo, nem poraquilo".1

3) Na apropriada observação de Laurinda Grion, "assim como escrevemos por este, por esta, por aquela, escrevemos por isso".2

__________________

1 Apud ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Dicionário de Questões Vernáculas. São Paulo: Editora Caminho Suave Ltda., 1981. 240.

2 Cf. GRION, Laurinda. Mais Cem Erros que um Executivo Comete ao Redigir. Sem edição. São Paulo: Edicta, sem data. p. 65.

______

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas.