Sexta-feira, 18 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

ABC do CDC

por Rizzatto Nunes

A publicidade enganosa de pressão

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Eu intitulo de "publicidade enganosa de pressão" os anúncios publicitários envolvidos no sistema de empurrar e tornar urgente a decisão de comprar pelo consumidor.

Você, caro leitor, talvez já tenha comprado ou tentado comprar algo pela internet e vê no site do fornecedor um relógio ao lado ou no topo dizendo: "Esta oferta vale por 5 minutos. E o relógio vai correndo e o tempo diminuindo". É muito comum em sites de venda de ingressos. Ou então: "Outros 100 consumidores estão neste instante examinado este produto".

Nas tevês e rádios é também comum: "Oferta válida por quinze minutos" ou "Oferta válida para os próximos dez interessados que ligarem".

Eu fiz um teste hoje, antes de escrever este artigo. Vi um anúncio de um medicamento no site de notícias. Apertei sobre ele. Surgiu: "Você ganhou 10% de desconto mais frete grátis. Oferta válida por 5:00 minutos" e o relógio começou a correr. Deixei rolar. 5 minutos depois, o relógio zerou. Será que perdi o desconto?

Apertei de novo sobre o produto e tudo começou novamente: a oferta de 10%, os 5:00 minutos com o relógio etc. Neste momento, enquanto você lê este artigo, a oferta com desconto e cinco minutos deve ainda estar lá.

O consumidor ainda cai nesse tipo de esparrela?

Se cai, cabe aos órgãos de defesa do consumidor agir para impedir esses anúncios.

E eu li, na semana passada, um famoso marketeiro dizendo que as empresas mudaram sua forma de comunicação e que agora falam a verdade! Adorei a fake opinion dele...

A respeito do tema, eis o depoimento de meu amigo Outrem Ego:

"Vi um anúncio desses modernos sites que agora existem. Este podia ser visualizado quando se sintonizava no YouTube o canal de uma emissora de rádio.

Como se tratava de um médico fazendo uma oferta de um produto 'miraculoso' para manter a próstata num tamanho razoável, eu resolvi assistir. Na verdade, usei a parte do anúncio que permitia ler ao invés de ouvir.

Texto longo, com muitas afirmações que levam um homem idoso a sonhar por uma nova alegria com sua próstata. Fui lendo, lendo e vi que se tratava da assinatura de uma revista de saúde e que fazendo a assinatura da revista o consumidor ganharia o 'Manual da Próstata Perfeita'.

Estava indo tudo bem, até que, quase no final, deparei com isso: 'A partir de agora, você já pode clicar no botão logo aqui embaixo pra reservar uma unidade do seu Manual da Próstata Perfeita'.

Mas tem que ser agora.

As unidades do Manual da Próstata Perfeita são limitadas (...)

Portanto, essa oferta especial é por tempo limitado – ou até as unidades se esgotarem."

Pronto! Estragaram tudo.

Oferta por tempo limitado?

As unidades do livro iriam se esgotar?

Conta outra para tentar me enganar! As promessas já eram exageradas, mas tudo bem, havia esperança. Quando a mentira se tornou descarada, eu desisti!

Quer dizer, então, que depois de um certo número de consumidores, eles vão parar de imprimir o material? Somente alguns privilegiados terão acesso ao livro? É o mesmo que dizer para leitores de algum romance que depois eu esgotar a edição não vão mais imprimir ainda que haja muitos interessados em comprar"

De fato, meu caro amigo. Esse é mais um exemplo de tática de marketing para gerar urgência no ânimo do consumidor que se interessou pelo produto ou pelo serviço.

É tão enganoso e tolo que soa como pueril!

Mas, não muda o fato de que é enganoso. Nem dá para se questionar se o tal livro ajuda ou não a controlar o tamanho da próstata. A mentira estraga tudo, tornando falso o anúncio inteiro e fragilizando o produto anunciado.

Repito: será que o consumidor acredita?

Espero que não. Espero também que os órgãos de defesa do consumidor investiguem!

Era do Consumo
Rizzatto Nunes

Rizzatto Nunes é desembargador aposentado do TJ/SP, escritor e professor de Direito do Consumidor.