Terça-feira, 20 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

Por hora

quarta-feira, 15 de junho de 2005

dúvida do leitor

O leitor Eurípedes de Souza remete a nossa redação a seguinte mensagem:

"Estampa-se no Migalhas 1.185 que esse prestigioso veículo de informação eletrônica se 'reserva o direito (e o dever) de omitir, por hora, o nome do investigado'. Está correto escrever 'por hora', ou seria 'por ora'?".

envie sua dúvida

1) Há duas expressões de sentido diverso: por hora e por ora.

2) Por ora corresponde a por agora, por enquanto: "O réu, por ora, há de ficar em liberdade".

3) Já por hora tem o significado de a cada sessenta minutos: "No instante do acidente, o réu corria a cento e vinte quilômetros por hora".

4) Atente-se à distinção entre as duas expressões, já que freqüentes são os equívocos em textos forenses a esse respeito.

5) De volta, especificamente, à consulta do leitor, a expressão apontada tem, no texto o sentido de por agora ou por enquanto, e não a cada sessenta minutos. Assim, diga-se por ora, e não por hora. Ou seja: o jornal reserva-se o direito de omitir por ora o nome do investigado.

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.