Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 84

terça-feira, 6 de fevereiro de 2007


AEROLULA EM AÇÃO

O presidente Luiz Inácio vai viajar mais pelo país, em seu segundo mandato, até para controlar o andamento do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento. Quer saber onde e como o PAC pode emPACar ? Nas andanças, Lula se juntará às multidões, já preparando o terreno para o sucessor em 2010. Que, claro, indicará.

ALDO E O METAL PEFELISTA

Após a derrota que sofreu para Arlindo Chinaglia, o ex-presidente da Câmara, o comunista Aldo Rebelo, bateu nas costas do deputado Paulo Magalhães, do PFL da Bahia e sobrinho do senador Antônio Carlos Magalhães, e desabafou a amargura de quem se considerou traído pelo PSDB: "o PFL, esse sim, é metal que não se dobra".

CONGRESSO MAIS TÉCNICO

Pelo número de ex-governadores, eleitos para o Senado, e de deputados oriundos de áreas especializadas, deduz-se que a Legislatura terá um Congresso mais técnico. Mas a fervura da política poderá corroer o verniz de tecnicidade de muitos parlamentares, substituindo-a pela ferrugem da velha política. De uma coisa, já se pode dizer : nem todos os parlamentares da base governista fecharão posição favorável de maneira incondicional. Tenderão a decidir caso a caso, principalmente alguns representantes do PC do B, PDT e PSB.

12 APÓSTOLOS ?

O segundo mandato de Lula contará com uma mesa de 11 apóstolos, aliás, de 11 partidos que o apóiam. Se adicionarmos a presidência da Câmara, comandada pelo petista Chinaglia, os apóstolos somarão 12. A pergunta que muitos se fazem é : quem será o Judas ou o primeiro a trair ?

A GUERRA DOS MINISTÉRIOS

Vai ser uma luta renhida. O PMDB quer uns 5 ministérios. Daqueles bem nutridos. O PT não quer ver diminuído seu espaço. Até o Movimento PT, que já tem Arlindo Chinaglia na presidência da Câmara, pretende expandir seu espaço. A corrente Campo Majoritário, a mais forte, vai por banca e quer ver Marta Suplicy no Ministério das Cidades. O PP quer continuar no Ministério dos Transportes. O PSB, PDT e PC do B ficarão no aguardo. Lula terá de ter a performance de Matrix, que escapa ileso.

TARSO ATACADO

Tarso Genro, quem diria, é atacado de maneira virulenta por figuras exponenciais da corrente Campo Majoritário, que não querem vê-lo, de jeito nenhum, emplacando o Ministério da Justiça. Se Genro não conseguir a Pasta, poderá até ficar onde está. Mas a luta interna será fratricida. Nesse caso, Nelson Jobim ou até outro perfil indicado pelo PMDB terá chances de comandar a Justiça.

SERRA X UNIVERSIDADES

José Serra, em início de governo, exerce capacidade inigualável de formar brigas. Quer contingenciar verbas das Universidades Estaduais, que conseguiram autonomia universitária, depois de uma longa batalha travada, no passado, com muitos sacrifícios. Serra começa mal, mesmo tendo criado uma Pasta para o Ensino Superior, entregue ao deputado José Aristodemo Pinotti. Interferir na autonomia é fazer sangrar o coração da Academia. Atentem : um dos mais poderosos blocos de formação de opinião, em São Paulo, integrado por milhares de professores universitários, começará a "comer o fígado" de José Serra. A não ser que este recue.

KASSAB "KASSANDO" ERRADO I

O prefeito Gilberto Kassab, já se disse nessa Coluna, expande a sua insensibilidade olhos vistos. Em certo sentido, até se pode elogiar a ação para limpar a cidade do excesso de poluição visual. Mas Kassab deveria, isso sim, desenvolver uma ação social vigorosa melhorar as condições de vida dos mendigos que vivem nas ruas de São Paulo. Não significa apenas tirá-las do habitat, mas de dar-lhes condições mais dignas: habitação, acompanhamento e assistência etc.

KASSAB "KASSANDO" ERRADO II

O prefeito Gilberto Kassab perdeu as estribeiras com um cidadão que protestava em um posto de Saúde da Capital. Passou uma descompostura e chegou a ameaçar o amedrontado contribuinte. A reação do alcaide foi desproporcional ao ato. O que está acontecendo com esse político, que é considerado um dos mais hábeis articuladores do PFL ? Prefeito, cuidado com a síndrome do touro : "pensar com o coração e arremeter com a cabeça".

COMISSÕES NA CÂMARA

A maior disputa, nos próximos dias, se dará em torno das Comissões da Câmara dos Deputados: 11 caberão ao superbloco governista; 6 ao bloco do PSDB - PFL - PPS; 3 ao bloco do PSB - PDT e PC do B. Ao PMDB caberá a mais importante, a Comissão de Constituição e Justiça, que tem poderes de convocar ministros. Esse desenho deixará mais claro o quadro de forças para o equilíbrio da Legislatura.

PFL, MENOR AINDA

O partido que mais sofrerá com o rolo compressor governista - tudo indica - será o PFL. Poderá perder até 10 parlamentares. Motivo : a insustentável leveza de ser oposicionista em tempos de ares densos e monetários.

RENAN GANHOU LÁ, PERDEU AQUI

Renan Calheiros já tinha uma vitória anunciada para a presidência do Senado. Mas lutou com um leão para eleger o conterrâneo Aldo Rebelo para a presidência da Câmara. Depois de ouvir os petistas constatarem, em alto e bom som, que ele foi derrotado, Renan, com cara de pau lustrada com óleo de peroba, saiu-se com esta pérola : "quem perdeu foi o PMDB, que deveria ter lutado pela presidência da Câmara". Na verdade, o PMDB até que tinha direito, como maior bancada, de pleitear a presidência da Câmara baixa. Mas preferiu ter Renan no Senado e fechar acordo na Câmara, para presidi-la daqui a dois anos. Lançar dois peemedebistas de uma vez só, nesse momento de intensa competição, seria desastroso.

OSMAR, INDEPENDENTE

Osmar Serraglio (PMDB-PR) ganhou o segundo cargo mais importante da Mesa da Câmara, levando a melhor sobre o ex-líder do PMDB, Wilson Santiago, da Paraíba. Foi candidato avulso. Ocorre que este Wilson, mesmo escolhido pelo superbloco governista, era muito ligado a Renan Calheiros. Nunca foi bem visto pelo PMDB mais independente. E Serraglio, por sua vez, construiu uma boa imagem por ocasião da CPI do mensalão. Muitos peemedebistas votaram nele.

CHINAGLIA E AS RESISTÊNCIAS

Especula-se com a idéia de que Chinaglia terá algumas resistências a condução dos trabalhos porque a mesa diretora conta com apoiadores de Aldo, como Ciro Nogueira (PP-PI) e José Carlos Machado (PFL-SE). A conferir.

RETOMADA DE DOHA

Agora, vai. Esse é o sentimento geral do empresariado brasileiro a respeito das negociações da Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio. O Brasil poderá fazer com que suas posições - basicamente a que busca a diminuição de subsídios agrícolas nos países europeus e nos EUA - sejam consideradas e debatidas.

SERRA E AÉCIO

Quem acredita numa chapa puro-sangue José Serra e Aécio Neves, na campanha tucana de 2010, pode apostar na mega-sena. Tem uma chance de acertar contra milhares de chances de errar feio.

IMAGEM DECOLANDO

Pequeno recorte na leitura de mídia : crescem os esforços para melhorar a imagem de Marta Suplicy. As referências positivas sobre seu perfil crescem, desde o engajamento e atuação firme na vanguarda da campanha de Lula em São Paulo. A imagem do senador Mercadante está patinando na baixa. Marta já disse que, se for ministra (Cidades ou Educação), acompanhará o presidente nos quatro anos de mandato. Mas há uma curva no meio do caminho : a prefeitura de São Paulo, que poderá querer tirar das mãos de Geraldo Alckmin.

MICHEL RECONDUZIDO ?

O deputado Michel Temer é candidatíssimo à reeleição na presidência do PMDB. Faz ali o papel de "lã entre vidros" evitando atritos. Foi o articulador-mor da união com o PT em torno de Arlindo Chinaglia. Para desespero dos senadores Renan Calheiros e José Sarney, que não economizam esforços para ocupar todos os quarteirões do partido e fazer o que gostam : nomear apadrinhados.

SEGREDOS DE LULA E SERRA

José Serra mandou despejar votos em Arlindo Chinaglia. Quer, nesse início de governo, contar com a boa vontade do PT, no caso, arrumar recursos para São Paulo. E, na semana passada, ao se encontrar com Serra, Lula cochichou: "precisamos conversar, aqui ou em Brasília". E Serra: "é só chamar". O governador paulista quer tirar a vantagem que Aécio Neves tem sobre ele na esfera particular de Lula.

__________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.