Quinta-feira, 17 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Lei anticrime

Moro apresenta projeto de lei anticrime a governadores

Proposta traz medidas para o combate à corrupção, crime organizado e crime violento.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, se reunirá nesta segunda-feira, 4, em Brasília, com governadores e secretários de Segurança Pública para apresentar o projeto de lei anticrime que será enviado nos próximos dias ao Congresso Nacional. O pacote altera 14 leis do país, incluindo a de execuções penais e dos crimes hediondos, além dos códigos Penal, de Processo Penal e Eleitoral.

Nas redes sociais, o ministro detalhou que a proposta considera que o crime organizado alimenta a corrupção e o tráfico de drogas, e assim simultaneamente. "É um projeto simples e com impacto para enfrentar esses três problemas", ressaltou. "Boa parte dos homicídios estão relacionados à disputa por tráfico de drogas ou dívida de drogas. Por outro lado, a corrupção esvazia os recursos públicos que são necessários para implementar políticas de segurança pública efetivas."

Entre as principais propostas do texto estão:

- Execução da pena após condenação em segunda instância

- Aumento da efetividade do Tribunal do Júri

- Alteração nas regras do julgamento de embargos infringentes

- Medidas relacionadas à legítima defesa

- Medidas para endurecer o cumprimento de penas

- Alteração no conceito de organização criminosa;

- Elevação de pena para crimes relativos a armas de fogo

- Medidas para aprimorar o perdimento de produto do crime

- Permissão para uso do bem apreendido pelos órgãos de segurança pública

- Medidas para evitar a prescrição

- Reforma do crime de resistência

- Introdução de soluções negociadas no CPP e na lei de improbidade

- Alteração da competência para facilitar o julgamento de crimes complexos com reflexos eleitorais

- Melhor criminalização do uso de caixa dois em eleições

- Alteração no regime de interrogatório por videoconferência

- Medidas para dificultar a soltura de criminosos habituais

- Alteração no regime jurídico dos presídios federais

- Aprimoramento da investigação de crimes

- Introdução do “informante do bem” ou do whistleblower

Meta

No último dia 23, o governo Federal anunciou 35 metas, consideradas prioritárias, para os primeiros 100 dias de gestão. O envio do projeto anticrime ao Congresso foi a meta escolhida por Moro, sob o argumento de que vai aumentar a eficácia no combate à corrupção, crimes violentos e crime organizado, além de reduzir pontos de estrangulamento do sistema de Justiça Criminal.

Moro destacou que não está nas mãos do governo a solução de todos problemas de segurança pública, e que cabe à sociedade demandar. "A sociedade tem de ter presente que o governo pode ser um ator, não tem condições de resolver todos os problemas, mas pode liderar de um processo de mudanças."

Em ocasiões anteriores, o ministro já anunciou ser favorável à proibição de progressão de regime prisional quando houver prova de ligação do preso com organizações criminosas. Também defendeu mais rigor para os condenados por peculato e prisão após 2ª instância.

leia mais

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes