Migalhas

Terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 58

quarta-feira, 21 de junho de 2006


COPA MORNA

A Copa prometia ser quente. Está mais para morna. O Produto Nacional Bruto da Infelicidade Nacional – amálgama dos problemas cotidianos – diminuiu apenas 2 pontos, quando, a esta altura, a expectativa era de uma baixa em torno de 5. A performance da seleção canarinha está aquém das expectativas. Os argentinos, nossos eternos rivais, é quem têm dado um show de bola. Até por isso, nossas alegrias estão contidas. 

RONALDUCHO

O presidente Lula, ao sugerir que iríamos ver o desempenho de um Ronalducho, falou por milhões de brasileiros. O jogador precisa diminuir uns três a quatro quilinhos. E demonstrar vontade de "comer a bola". Vamos esperar pela luta contra os japoneses de Zico, amanhã. Será a cartada final do (ex) Fenômeno.

BU-SS-UNDA

No palco vazio de lideranças, os nossos heróis são jogadores de futebol, artistas de TV, humoristas. Bussunda era um deles. Foi embora e deixa um oceano de risos presos. O Casseta & Planeta jamais será o mesmo. Que cara engraçado! Fez piada até no cemitério. Bater palmas para ele é aplaudir as sílabas de dois ícones da verve nacional, que escolheu para homenagear em seu desempenho casseta.

MALA PRETA

Mala preta é sinônimo de compra de votos em alguns currais do país. Já começa a aparecer nas mãos de candidatos-operadores. São os tipos que passam ao largo da legislação. Somam 50% da Câmara Federal.

VOTO-LAMBANÇA

Que vai haver um voto-lambança nas eleições de outubro, ah, isso vai. É o voto que mistura alhos com bugalhos. Lula será o mais beneficiado. Vejamos alguns votos-lambança: Lulécio – Voto em Lula e Aécio Neves, em Minas Gerais; Lulérgio, voto em Lula e Sérgio Cabral, no Rio de Janeiro; Lugaldi, voto em Lula e em Garibaldi Alves, no Rio Grande do Norte; Lulonça, voto em Lula e em Mendonça Filho, em Pernambuco; Luquião, voto em Lula e em Requião, no Paraná; Luique, voto em Lula e Luiz Henrique, em Santa Catarina; Luouto, voto em Lula e em Paulo Souto, na Bahia; Lássio, voto em Lula e em Cássio Cunha Lima, na Paraíba. Ocorre que todos esses candidatos ao governo de Estados estão apoiando Geraldo Alckmin. Se vestissem a camisa tucana, o voto não seria tão escu...lambado.

SEGUNDO TURNO

Façam-se as contas. Com mais 15 pontos, Alckmin chega a 35 pontos nas pesquisas de intenção de voto. Heloísa Helena (PSOL) poderá chegar aos dois dígitos, 10 pontos. Os outros candidatos – Cristovam Buarque (PDT), Luciano Bivar (PSL) e José Maria Eymael (PSDC) – podem chegar, juntos, a 5 pontos. Com essa marca, a disputa presidencial irá para o segundo turno. Muitos duvidam que Alckmin ganhe 15 pontos. Não será difícil.

PT SEM PSB?

Se o PSB, de Eduardo Campos, sobrinho de Miguel Arraes, não fizer coligação formal com o PT, Lula perde quase 2 minutos de tempo de TV. Coligando-se com o PSB e o PC do B, o PT terá 8 minutos e 5 segundos. O tucano Alckmin disporá de 9 minutos e 38 segundos. Nem sempre maior tempo significa maior eficácia. Tudo vai depender da qualidade do programa de TV e rádio.

USO DA MÁQUINA

A partir de 1o de julho, o presidente Luiz Inácio não poderá usar a máquina. Coisa relativa. Poderá usar o Aerolula, contanto que o PT faça o reembolso das despesas. Não poderá fazer inaugurações, mas um dia depois, poderá visitar a obra inaugurada. E com direito a mostrar a visita na telinha da TV. Legislação fajuta.

MERCADANTE

Não se espera uma vitória fácil de José Serra em São Paulo. O senador Mercadante tem discurso denso e crível. O veneno que contaminou o PT não chegou forte em suas veias.

QUÉRCIA LUTA PARA SER VICE

José Serra está ouvindo o pleito de Quércia, que deseja ser vice na chapa tucana. É a condição para o PMDB fechar acordo. Mas Serra e os tucanos rejeitam o nome. Prefeririam Michel Temer. Será difícil Quércia aceitar essa preferência.

PFL VERSUS TUCANOS

As querelas entre o PFL e os tucanos continuam em alguns Estados. Eis o calcanhar-de-Aquiles de Geraldo Alckmin. Enquanto isso, Lula nada de braçada.

PTB COM SERRA

O PTB reivindica a vice na chapa de Serra, porque alega ter uma bancada maior em São Paulo do que a bancada pefelista. Mas e o prestígio da sigla ? O PTB esteve no centro da crise do mensalão.

TARSO COM A AGULHA

Tarso Genro está com a agulha toda como ministro das Relações Institucionais. Fala com todos. Costurando acordos e desenhando cenários futuros. E de diálogo em diálogo, está tirando o atraso do governo Lula em matéria de articulação partidária e social.

PPS APÓIA GERALDO. E NOS ESTADOS ?

O PPS comandado pelo deputado Roberto Freire anuncia apoio informal a Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à presidência da República. Nos Estados, a coligação informal PPS - PSDB deveria ocorrer. Em Roraima, a ex-prefeita de Boa Vista, Tereza Jucá, será candidata ao Senado pelo PPS, enquanto o marido, senador Romero Jucá, pleiteia o governo, pelo PMDB. Sinuca de bico: o governador Otomar Pinto (PSDB) é candidato à reeleição. Tereza, do PPS, terá de fazer campanha de Otomar, do PSDB, contra seu marido, do PMDB. Teoricamente. No Brasil, há um oceano de distância entre teoria e prática.

CPI DOS SANGUESSUGAS

Não dá para acreditar na eficácia da CPI dos sanguessugas. Em duas semanas, a campanha irá para as ruas. O Congresso ficará esvaziado. Mas há uma luta feroz de partidos que disputam a presidência e a relatoria.

____________

Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato, (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

-