sábado, 18 de setembro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Preferem vender alma para diabo, diz juíza sobre negativa de cirurgia
Desabafo | Poder Público

Preferem vender alma para diabo, diz juíza sobre negativa de cirurgia

Magistrada desabafou sobre descaso do Poder Público aos atendimentos referentes a saúde em decisão sobre cirurgia bariátrica.

terça-feira, 15 de junho de 2021

Em ação de obrigação de fazer, a juíza de Direito Marinez Catarina Von-Lohrmann Cruz Arraes, de Belém, desabafou sobre descaso do Poder Público na Saúde do país.

Ao determinar que município proceda a cirurgia bariátrica de mulher em situação grave, a magistrada disse que "ratificamos todos os dias a certeza de que os políticos e demais cidadãos de outros poderes, preferem vender a alma para o diabo, a fazer valer as garantias constitucionais de todos os cidadãos brasileiros".

(Imagem: Montagem Migalhas | Freepik)

Magistrada desabafou sobre descaso do Poder Público aos atendimentos referentes a saúde.(Imagem: Montagem Migalhas | Freepik)

A julgadora concedeu tutela de urgência ao constatar a gravidade da paciente segundo laudo médico. Para a magistrada, o Judiciário nunca poderá se eximir em conceder direito reconhecido pela Carta Magna, a todo cidadão brasileiro e, "se realimente fosse levado a sério pelo Poder Público, a indispensabilidade dos atendimentos referentes a saúde, de cada um, talvez não seria esse caos que se instalou na saúde em nosso país".

Segundo a magistrada, a análise deveria ser: constatou-se a necessidade, forma-se o procedimento de atendimento. "Isso sim seria ideal, pois só assim teríamos a certeza do respeito ao que descreve nossa Carta Maior", completou.

A juíza ainda desabafou sobre as notícias de dinheiro desviado da Saúde e da Educação.

"Entristecemo-nos porque ratificamos todos os dias a certeza de que os políticos e demais cidadãos de outros poderes, preferem vender a alma para o diabo, a fazer valer as garantias constitucionais de todos os cidadãos brasileiros. Preferem seus supérfluos, a estender as mãos a quem realmente precisa. Maldito egoísmos que assola a humanidade."

No caso concreto, a magistrada reforçou que a mulher necessita de tratamento médico para realização de procedimento cirúrgico bariátrica, conforme laudo médico, e considerou a possibilidade de piora do quadro de saúde, que demonstra a probabilidade do direito e o perigo de dano.

Diante disso, julgou procedente o caso para determinar ao município de Belém que proceda a realização da cirurgia.

O advogado Rubens Amaral Bergamini, do escritório Rubens Amaral Bergamini Sociedade de Advogados, atua na causa.

Veja a decisão.

__________

t

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 15/6/2021 14:13