quinta-feira, 29 de julho de 2021

MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Ministros do STJ pedem reflexão da advocacia com volume processual
Processos

Ministros do STJ pedem reflexão da advocacia com volume processual

Há descuido na condução dos processos, que acarretam mais demora e volume no âmbito penal, acreditam ministros.

terça-feira, 15 de junho de 2021

Durante sessão da 6ª turma desta terça-feira, os ministros Sebastião Reis Jr. e Rogerio Schietti pediram reflexão da advocacia quanto ao volume de processos no âmbito penal. Para S. Exas., há descuido na condução dos processos, que acarretam mais demora e volume no âmbito penal.

Preocupado com a quantidade de processos, o ministro Sebastião Reis tem constantemente alertado membros do Judiciário por consciência. No começo do mês, o ministro desabafou durante a sessão da 6ª turma desta terça-feira, 1º, após o trancamento de ação penal por furto de steak de frango no valor de R$ 4.

Segundo o ministro, os tribunais e Ministério Público não seguem os entendimentos aplicados e os precedentes da Corte, e continuam insistindo em processos que já são pacificados.

Desta vez, Sebastião Reis Jr. usou a palavra para alertar, também, os membros da advocacia. Para o ministro, inúmeras impetrações de habeas corpus não precisariam ocorrer se determinadas questões tivessem sido suscitadas em momento oportuno.

"Existe uma parcela de responsabilidade e certo descuido na condução do processo. Faço a observação com certa legitimidade, como eu vim do quinto, posso criticar."

Sebastião Reis ainda ressaltou que tem enfatizado sobre o volume processual, pois está preocupado "com onde vamos chegar" e "como vamos conseguir reverter esse quadro".

O ministro Rogerio Schietti concordou com o desabafo e acrescentou que boa parte dos habeas corpus tem lentidão devido ao excesso de pedido de liminares, nas quais, muitas vezes, nitidamente, não é caso de urgência.

Schietti explicou que o gabinete se ocupa e esse tempo despendido será subtraído à analise de mérito de outros processos.

"O advogado deve verificar se realmente é o caso de liminar, pois vai atrasar o processo. Em alguns casos, evidentemente não é cabível."

Para o ministro, outro caso que atrasa o processo é a falta de documentos. "Isso atrasa muito, pois temos que devolver os autos ou indeferir liminarmente", completou.

Juíza de primeiro grau

A ministra Nancy Andrighi, na 3ª turma, também disse que iria melhorar a qualidade do trabalho se determinados processos não subissem ao STJ e que às vezes "é como se fosse juíza de 1º grau".

  • Veja o vídeo aqui.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 15/6/2021 19:18

LEIA MAIS