sexta-feira, 17 de setembro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Plano de saúde custeará tratamento para síndrome de samter
Saúde

Plano de saúde custeará tratamento para síndrome de samter

Magistrado de SP observou que não há expressa exclusão do tratamento para a síndrome no contrato com o plano de saúde.

terça-feira, 17 de agosto de 2021

O juiz de Direito Christopher Alexander Roisin, da 14ª vara Cível de SP, determinou que um plano de saúde custeie o medicamento Dupixent (Dupilumabe) para tratamento de um homem que sofre da tríade de widal/síndrome de samter e dermatite eczematosa. O magistrado observou que não há expressa exclusão do tratamento no contrato com o plano de saúde.

(Imagem: Pexels)

(Imagem: Pexels)

Um homem ajuizou ação contra seu plano de saúde alegando que é portador de "pansinusopatia de difícil controle associada à asma grave e polipose nasal" (tríade de widal/síndrome de samter) e dermatite eczematosa. Disse que lhe foi prescrito tratamento à base de Dupixent (Dupilumabe) e que seu plano se recusa a fornecê-lo. Na ação, ele afirmou que a recusa é injusta e pretende a condenação da empresa na oferta do medicamento.

O plano de saúde, por sua vez, argumentou que o medicamente pretendido fere as diretrizes da ANS para sua utilização, sendo legítima a recusa.

Contrato de seguro saúde

Ao apreciar o caso, o juiz observou que o mal que acomete o autor é grave e não há alternativas para tratamentos mais baratos e eficazes, na medida da análise médica; tendo as alterativas tentadas não surtido efeitos.

Ademais, o magistrado verificou que não há expressa exclusão para o tratamento de pansinusopatia de difícil controle associada à asma grave. "A cláusula de exclusão invocada não tem, portanto, a extensão proposta pela ré e não atinge o caso concreto", afirmou.

Assim, o juiz julgou procedente o pedido para condenar o plano de saúde a custear o procedimento medicamentoso Dupixent (Dupilumabe) para tratamento do problema de saúde que acomete o autor.

A advogada Fernanda Giorno de Campos e o advogado Rodrigo Lopes (Lopes & Giorno Advogados) defenderam o autor da ação.

Leia a decisão.

_______

t

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 17/8/2021 16:59