domingo, 24 de outubro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. CPI da covid: Instituto aponta violação às prerrogativas de advogados
CPI da covid

CPI da covid: Instituto aponta violação às prerrogativas de advogados

Documento foi enviado pelo IBDL ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

segunda-feira, 11 de outubro de 2021

O IBDL - Instituto Brasileiro de Direito Legislativo enviou nota ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, manifestando preocupação com violações às prerrogativas de advogados durante os trabalhos da CPI da covid, realizados naquela Casa.

(Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

CPI da covid: Randolfe Rodrigues, vice-presidente, Omar Aziz, presidente e Renan Calheiros, relator.(Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

No documento, afirmam que, desde a instalação da CPI, em abril deste ano, foram diversos os episódios de ofensas às prerrogativas: confusão entre cliente investigado e advogado, óbices para que o patrono orientasse o cliente, restrições ao uso da palavra, ameaças de expulsão da sessão e até prisão.

"O Senado Federal não pode olvidar que o Estatuto da Advocacia, lei 8.906/1994, estabelece que 'as autoridades, os servidores públicos e os serventuários da justiça devem dispensar ao advogado, no exercício da profissão, tratamento compatível com a dignidade da advocacia e condições adequadas a seu desempenho' (artigo 6º, parágrafo único)."

Destacam, ainda, que o mesmo Estatuto garante aos causídicos direitos e garantias, dentre eles o uso da palavra pela ordem para esclarecer equívoco ou dúvida sobre os fatos, ou para replicar acusações ou censura; e, ainda, o direito de reclamar contra a inobservância de preceito de lei, regulamento ou regimento.

Aduzem, por fim, que estes direitos vêm sendo sistematicamente violados, e que não pode a Casa Legislativa omitir-se diante destes fatos. Destacam ser inadmissível qualquer retaliação, desrespeito ou abuso de autoridade com quem se faz presente na CPI, e que a entidade segue vigilante na defesa da Constituição.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 11/10/2021 16:10