quinta-feira, 26 de maio de 2022

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Mendonça atende governo e derruba regras do Confaz de ICMS do diesel
Imposto

Mendonça atende governo e derruba regras do Confaz de ICMS do diesel

Ministro derrubou duas cláusulas por considerar que violam dispositivos constitucionais, em especial o princípio da uniformidade.

sábado, 14 de maio de 2022

O presidente da República, Jair Bolsonaro, questionou no STF cláusulas de convênio do Confaz - Conselho Nacional de Política Fazendária que, ao disciplinar a incidência única de ICMS sobre óleo diesel e definir as alíquotas aplicáveis, autorizaram os Estados a equalizar a carga tributária, por litro de combustível, pelo período mínimo de 12 meses.

A ação foi distribuída ao ministro André Mendonça, que rapidamente deferiu liminar, urgência que se justificou em razão da proximidade da vigência do novo modelo, explicou o relator.

(Imagem: Nelson Jr./SCO/STF)

Ministro André Mendonça suspende normas do Confaz sobre ICMS do diesel.(Imagem: Nelson Jr./SCO/STF)

Sistema disfuncional

A AGU sustenta que a aprovação do convênio ICMS 16/22 poucos dias após a promulgação da LC 192/22, que prevê a cobrança de alíquota única do imposto sobre gasolina, etanol e diesel, entre outros combustíveis, "causou perplexidade", pois dá continuidade a um "sistema de tributação disfuncional, federativamente assimétrico e injustamente oneroso para o contribuinte".

De acordo com a argumentação, disparidades muito drásticas nas alíquotas sobre combustíveis fomentam a sonegação e dificultam o trabalho da arrecadação tributária, em detrimento do interesse dos próprios Estados.

Para a AGU, o convênio contemplou uma maneira inovadora de diferenciação de alíquotas de um mesmo produto entre os Estados e o Distrito Federal. "Na prática, a regra possibilita que cada ente federativo adote sua própria alíquota de ICMS", argumenta. Como exemplo, cita que a aplicação do fator de equalização fará com que, no Acre, o óleo diesel tenha tributação 89,5% superior à do Paraná, esvaziando a alíquota fixa nacional (alíquota ad rem).

Decisão

O ministro André Mendonça suspendeu a eficácia de duas cláusulas do convênio do Confaz, por considerar que violam os dispositivos constitucionais apontados pelo governo Federal, em especial o princípio da uniformidade, em razão do estabelecimento do fator de equalização.

A liminar deverá ser submetida a referendo do plenário.

O ministro requisitou, com urgência e prioridade, informações ao Confaz, à Câmara dos Deputados e ao Senado, a serem prestadas no prazo de cinco dias. Em seguida, determinou a abertura de vista dos autos ao AGU e ao PGR, pelo prazo de cinco dias, para que se manifestem.

Leia a decisão.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 17/5/2022 11:04