Leitores

Papa - Brasil

27/5/2021
Zé Preá

"O Papa Francisco disse
Que não temos salvação
Porque é muita cachaça
Quase nada de oração
E como rezamos pouco
Quem nos governa é o Cão!"

Coronavírus

24/5/2021
Armando Bergo Neto

"Por que as nações soberbas e materialistas, que sempre desejaram a supremacia sobre as demais nações, não usam suas armas tremendas, armazenadas, para destruírem o inimigo da humanidade, o coronavírus. Será que aprenderão a lição? Será que investirão em tecnologia para melhorar a vidas das pessoas? Para erradicarem a fome na Terra? Investimentos em saúde, saneamento básico, moradia, educação? Ou continuarão incentivando e desperdiçando recursos em armamentos? A lição está dada. Só nos resta aprender."

Gramatigalhas

24/5/2021
Henrique Galvão Rodrigues e Silva

"Olá professor, muito obrigado por disponibilizar esse espaço. Tenho, de fato, duas dúvidas. Em primeiro lugar, em frases como 'O que aconteceu ontem, que eu nem vi quando você saiu?' ou 'O que você tem, que parece tão cansado?', estamos falando de orações coordenadas explicativas? (Caso contrário, que tipos de orações seriam essas?) Em segundo lugar, é correto o uso da vírgula antes da conjunção 'que' nos dois exemplos dados?"

26/5/2021
Carlos Alberto Soares Nolli

"Olá Dr. José Maria da Costa. Adiante transcrevo texto de r. pronunciamento jurisdicional: '(...) fixo a jornada do autor (nos dias trabalhados, conforme anotação dos cartões ponto) como sendo das 07h30min às 11h00min e das 12h00min às 17h30min, executado o período de safra, compreendido entre os meses de abril e junho, em que o trabalho se estendia até as 22h00min' (Nossas versais). Em tal escrito o mês de maio se encontra incluído? Um abraço."

27/5/2021
Paulo Henrique de Araújo Costa

"Como ficou a conjugação e a pronúncia do verbo arguir após o novo acordo ortográfico? O próprio verbo continua sendo pronunciado ar-güir (hoje sem trema) ou ar-gu-ir? Obrigado."

29/5/2021
Nicholas Merlone

"A coluna Gramaticalhas aborda como cerne questões gramaticais. Porém, acredito, indo além, cabe uma dúvida. Seria possível, por gentileza, falar um pouco sobre storytelling na advocacia, bem como um modo de dosar as linguagens técnica e formal com outras informal, simplificada e mais próxima do cliente, de fácil compreensão?"

Envie sua Migalha