segunda-feira, 21 de junho de 2021

MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Prazo prescricional da Convenção de Montreal se aplica no transporte aéreo internacional de carga

Publicidade

Direito Privado

Prazo prescricional da Convenção de Montreal se aplica no transporte aéreo internacional de carga

TJ/SP julgou improcedente ação regressiva de reparação de danos de seguradora.

quinta-feira, 25 de julho de 2019

A 18ª câmara de Direito Privado do TJ/SP reformou sentença para julgar improcedente ação regressiva de reparação de danos de seguradora, em caso de transporte aéreo de carga.  

A transportadora requereu a aplicação do prazo prescricional previsto na Convenção de Montreal, bem como a limitação da indenização fixada.

O colegiado julgou a lide à luz da atual jurisprudência do STJ sobre o tema, após decisão monocrática do ministro Luis Felipe Salomão.

Convenção de Montreal

t

O relator, desembargador Roque Antonio Mesquita de Oliveira, lembrou que no RE 636.331, o STF fixou em sede de repercussão geral a tese segundo a qual "nos termos do art. 178 da Constituição da República, as normas e os tratados internacionais limitadores da responsabilidade das transportadoras aéreas de passageiros, especialmente as Convenções de Varsóvia e Montreal, têm prevalência em relação ao Código de Defesa do Consumidor".

Assim, prosseguiu o relator, apesar da decisão ter sido prolatada em 11/02/15, quando ainda não havia sido firmada a tese do Supremo, nos termos do artigo 927, inciso I, do CPC/15, referido entendimento deve ser observado, conforme determinou o ministro Salomão em decisão monocrática, de modo que devem ser aplicadas ao caso as regras previstas na Convenção de Montreal.

"Dessa forma, tendo em vista que o prazo prescricional aplicável é aquele relativo a relação jurídica originária, que se refere ao ressarcimento de danos materiais causados em transporte aéreo internacional, deve prevalecer o prazo prescricional bienal, previsto no artigo 35 da citada Convenção de Montreal."

No caso dos autos, as mercadorias foram retiradas para serem transportadas nos dias 08 e 09/07/08, sendo recebidas no aeroporto de destino em 10/07/08 e 14/07/08. Como a seguradora ajuizou a ação após o prazo de dois anos do desembarque das mercadorias, o relator concluiu pela caracterização da prescrição.

A transportadora foi representada na causa pelo escritório AJ Law Advogados.

Veja o acórdão.

___________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 25/7/2019 16:00

LEIA MAIS