Migalhas Quentes

Empresa e condomínio são condenados por jornadas de 12hs a porteiro

Segundo juíza titular, o regime adotado é extensivo e desumano, por impor uma “carga brutal de trabalho contínuo, sem qualquer amparo legal”.

13/3/2023

A 8ª vara do Trabalho da zona sul de São Paulo condenou uma empresa de terceirização de serviços a pagar horas extras a empregado que era exposto a jornada laboral considerada exaustiva. Segundo a juíza titular Glenda Regine Machado, o regime adotado é extensivo e desumano, por impor uma “carga brutal de trabalho contínuo, sem qualquer amparo legal”. O condomínio contratante responderá subsidiariamente pela condenação.

TRT-2: Empresa é condenada por impor jornadas de 12 horas a porteiro.(Imagem: Freepik.)

Nos autos, o trabalhador comprovou que cumpria 12 horas diárias, em escala de 4x2 (quatro dias de trabalho e dois dias de folga). Segundo o juízo, embora haja uma previsão legal para escala de 12 horas, ela deve ser cumprida em regime de compensação (12 horas de trabalho e 36 horas de folga) e só pode ser adotada com previsão legal expressa ou pactuada em acordo coletivo ou convenção coletiva de trabalho.

Com a condenação, a firma terá que pagar como horas extraordinárias tudo o que ultrapassou a 8ª hora diária e a 44ª hora semanal, bem como horas decorrentes de intervalos intrajornadas suprimidos duas vezes por semana, conforme pedido não contestado pela empresa.

Embora tenha concedido as horas extras, a magistrada não acatou a solicitação de danos morais por suposto abalo emocional provocado pela escala, já que “não houve demonstração de qualquer ato abusivo por parte das rés ou seus prepostos, sendo certo que as faltas contratuais foram devidamente apuradas e reparadas pelos pedidos já deferidos”.

Confira aqui a decisão.

Informações: TRT-2.

Veja mais no portal
cadastre-se, comente, saiba mais

Leia mais

Migalhas Quentes

TRT-2 condena empresa por utilização indevida da escala 12x36

23/9/2022
Migalhas Quentes

Mantida justa causa de porteiro que fez nudes com celular corporativo

22/6/2022
Migalhas Quentes

Porteiro deixa de ser contratado por não haver uniforme do seu tamanho

14/6/2021

Notícias Mais Lidas

STF fixa tese sobre demissão motivada de empregado público

28/2/2024

OAB/GO nega inscrição de homem por "inidoneidade moral"; juiz valida

28/2/2024

STF invalida regra de sobras eleitorais; mudança vale a partir de 2024

28/2/2024

Advogada é assassinada após questionar quem seria o próximo colega a morrer

29/2/2024

Por litigância predatória, juiz condena advogado e cliente: “aventura jurídica”

28/2/2024

Artigos Mais Lidos

PL 3985 - Bacharéis e outros profissionais, com graduação em curso de nível superior, poderão integrar a sociedade simples de advocacia

28/2/2024

Menos de 5% dos advogados do Brasil ganham mais de 20 salários mínimos

28/2/2024

Novas regras ambientais para imóveis rurais impostas pela Corregedoria Geral de Justiça – Provimento 25/23

1/3/2024

Locações de imóveis através de plataformas como o Airbnb: Questões legais sobre o aluguel e a validade de restrições condominiais

28/2/2024

Distinções entre as assinaturas digitais e as eletrônicas ainda são pouco conhecidas

29/2/2024