sexta-feira, 19 de abril de 2024

AUTOR MIGALHAS

  1. Home >
  2. Autores Migalhas >
  3. Natalie Alves Lima
result.title

Natalie Alves Lima

Migalheira desde dezembro/2020.

Sócia do Escritório Malta Advogados; Diretora Executiva do Escritório Malta Advogados; Diretora de Relações Governamentais do Escritório Malta Advogados; Mestranda em Direito pela Universidade de Brasília - UnB; Professora assistente na Universidade de Brasília - UnB; Diretora da Alumni FD-UnB (Associação de Ex-alunos da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília); Membro da Comissão de Relações Institucionais e Governamentais da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional do Distrito Federal; Diretora do Blog "Direito Médico em Foco".

Migalhas de Peso Por um lar digno, livre de violência doméstica: Lula sanciona a lei do auxílio-aluguel
quinta-feira, 21 de setembro de 2023

Por um lar digno, livre de violência doméstica: Lula sanciona a lei do auxílio-aluguel

Renata Gil, Natalie Alves Lima e Marcela Bocayuva
Necessária a criação de uma estratégia nacional de combate à violência contra a mulher, capaz de criar políticas públicas integradas, atentas a metas e a prazos, em prol de um enfrentamento coordenado e eficaz da violência contra a mulher em todo o país.
Migalhas de Peso Balanço Político do 1º semestre de 2022: destaques da pauta do Congresso Nacional
terça-feira, 26 de julho de 2022

Balanço Político do 1º semestre de 2022: destaques da pauta do Congresso Nacional

O calendário eleitoral direcionará o foco de atenções sobre os arranjos nos estados e as agendas de eventos e compromissos das candidatas e dos candidatos. Dia 15 de agosto é a data limite para partidos e federações realizarem o registro de seus candidatos aos cargos eletivos desta eleição.
Migalhas de Peso TRF-1 afasta restrições ao exercício da licença para capacitação por servidores públicos federais
sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

TRF-1 afasta restrições ao exercício da licença para capacitação por servidores públicos federais

A 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região afastou regras previstas no Decreto 9.991/15 ao constatar abuso do poder regulamentar pelo Poder Executivo.