domingo, 1 de agosto de 2021

AUTOR MIGALHAS

  1. Home >
  2. Autor >
  3. Francisco de Assis Brito Vaz
result.title

Francisco de Assis Brito Vaz

https://www.migalhas.com.br/autor/francisco-de-assis-brito-vaz
Migalheiro desde outubro/2017.

Sócio da área trabalhista do escritório SiqueiraCastro.

Migalhas de peso O programa emergencial de manutenção do emprego e da renda e as novidades decorrentes da nova lei
segunda-feira, 27 de julho de 2020

O programa emergencial de manutenção do emprego e da renda e as novidades decorrentes da nova lei

A lei 14.020/20, resultado da conversão da medida provisória 936, trata da redução de salários e de jornada e da suspensão de contratos de trabalho durante a pandemia, trazendo muitas novidades
Migalhas de peso O novo posicionamento do TST quanto ao fato gerador da contribuição previdenciária na incidência de multa e juros de mora e seus desdobramentos
segunda-feira, 6 de junho de 2016

O novo posicionamento do TST quanto ao fato gerador da contribuição previdenciária na incidência de multa e juros de mora e seus desdobramentos

Rafael Ferraresi Holanda Cavalcante e Francisco de Assis Brito Vaz
Com a lei 11.941/09, o fato gerador da contribuição previdenciária teria passado a ser a prestação de serviço, e não mais o pagamento.
Migalhas de peso TST realiza seminário sobre prevenção de acidente de trabalho
quarta-feira, 23 de novembro de 2011

TST realiza seminário sobre prevenção de acidente de trabalho

Rafael Ferraresi Holanda Cavalcante e Francisco de Assis Brito Vaz
Além da conscientização das empresas, os advogados apontam como preocupação maior a formulação urgente de políticas de prevenção de acidentes mais eficazes.
Migalhas de peso As novas regras sobre o aviso prévio e sua aplicação duvidosa
segunda-feira, 24 de outubro de 2011

As novas regras sobre o aviso prévio e sua aplicação duvidosa

Rafael Ferraresi Holanda Cavalcante e Francisco de Assis Brito Vaz
Os autores indagam se o trabalhador demitido nos últimos dois anos tem direito ao aviso proporcional, já que a CF/88 assegura a reivindicação de direitos em até dois anos após a demissão.