Cristiano Padial Fogaça

Cristiano Padial Fogaça

Migalheiro desde outubro/2017.
Sócio do escritório Fogaça, Moreti Advogados.
MIGALHAS nº 4.870
Informativo Migalhas
10/6/2020

MIGALHAS nº 4.870

Quarta-Feira, 10 de junho de 2020 - Migalhas nº 4.870.Fechamento às 11h11.Registro Migalhas anuncia que, a partir de hoje, conta com mais um Fomentador: ANPPD® - Associação Nacional dos Profissionais de Privacidade de Dados (Clique aqui) "Entre a espiga e a mão, está o muro."Machado de AssisArrobas de problemaA delação premiada dos executivos da JBS é um dos casos mais polêmicos na recente literatura das delações tupiniquins. A PGR pede que ela seja anulada, afirmando que executivos descumpriram o acordo. Dia 17, o STF decidirá: abate ou engorda das provas.(Clique aqui)Pode pedir música no...
MIGALHAS nº 4.832
Informativo Migalhas
15/4/2020

MIGALHAS nº 4.832

Quarta-feira, 15 de abril de 2020 - Migalhas nº 4.832.Fechamento às 10h17.   "Não importa o grau de instrução e de entendimento, os homens seguirão prisioneiros das superstições, ingenuamente confiantes em que elas os ajudarão a desarmar as armadilhas naturais do mundo."Sergio BermudesPandemiaO vírus avança no país, e o sistema de saúde vai entrando em colapso. Registro históricoAs turmas do STF realizaram ontem as primeiras sessões por videoconferência de sua história. Elas puderam ser acompanhadas ao vivo pelo YouTube. Reveja como foi, clique aqui. História Na sessão virtual da 1ª turma do...
MIGALHAS nº 4.818
Informativo Migalhas
25/3/2020

MIGALHAS nº 4.818

Quarta-feira, 25 de março de 2020 - Migalhas nº 4.818.Fechamento às 11h18.   "Trabalhai, porque a vida é pequena, e não há para o tempo demoras! Não gasteis os minutos sem pena! Não façais pouco caso das horas!"Olavo BilacAo trabalhoNosso obreiro rotativo da mídia jurídica quer hoje trazer uma palavra de otimismo e empolgação aos queridos migalheiros. É possível, sim, manter-se ativo e produtivo nestes tempos de quarentena. Siga-nos. ProdutividadeMesmo trabalhando de forma remota, os servidores da Justiça de Goiás mostram continuidade na prestação jurisdicional. Na primeira semana de teletrabalho,...
MIGALHAS nº 4.728
Informativo Migalhas
11/11/2019

MIGALHAS nº 4.728

...s de vigência. Em artigo, os advogados Ana Paula Caseiro e Cristiano Padial Fogaça, do escritório Fogaça, Moreti Advogados, abordam o fato de que as empresas tomadoras de serviços ainda têm dificuldades em terceirizar. (Clique aqui) Meios de pagamentos "O papel do Banco Central no setor de meios de pagamentos". Este é o tema debatido pelos especialistas Giancarllo Melito (sócio do escritório Barcellos Tucunduva Advogados), Alessandro Raposo e Edson Luiz dos Santos. (Compartilhe) Tecnologia Governo dará selo a empresas que aderirem a plataforma de solução de conflitos. Medida foi bem vista pelos advogados...
MIGALHAS nº 4.307
Informativo Migalhas
2/3/2018

MIGALHAS nº 4.307

...forçada de adultos que fazem uso abusivo de drogas". Mestrado Cristiano Padial Fogaça, sócio do escritório Fogaça, Moreti Advogados, defendeu mestrado em Direito Comercial, na PUC/SP, com o tema: "Dissolução Parcial de Sociedade Limitada por Retirada e Exclusão de Sócio e a consequente apuração de haveres à luz do CPC/2015". Dada a excelência e a abrangência do trabalho, os integrantes da banca, Hamid Bdine Júnior, Maria Eugenia Finkelstein e o orientador, Marcus Elidius Michelli de Almeida, recomendaram que a dissertação, com as devidas adaptações, seja transformada em um livro...
STJ: Seções divergem em questão sobre recuperação judicial e consideram afetar caso para Corte
Migalhas Quentes
2/3/2018

STJ: Seções divergem em questão sobre recuperação judicial e consideram afetar caso para Corte

...sete de Direito Público na Corte.Acerca do tema, o advogado Cristiano Padial Fogaça, do escritório Fogaça, Moreti Advogados, responsável pelo caso que teve reconhecido o status de repetitivo (REsp 1.712.484), afirma que "a realização de atos constritivos, no caso a penhora de bens, por outro juízo que não o da recuperação judicial, poderá inviabilizar a reestruturação da empresa, já que o juízo da execução fiscal não estaria ciente de todos os aspectos envolvidos, podendo ocasionar a inviabilidade econômica e a sua consequente falência."Processo: IUJur no CC 144.433