sábado, 16 de outubro de 2021

AUTOR MIGALHAS

  1. Home >
  2. Autor >
  3. Paulo Brancher
result.title

Paulo Brancher

https://www.migalhas.com.br/autor/paulo-brancher
Migalheiro desde abril/2006.

Sócio do escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados

Migalhas de peso A proteção de projetos de arquitetura por Direito Autoral
terça-feira, 20 de abril de 2021

A proteção de projetos de arquitetura por Direito Autoral

O Direito Moral de autor – nesse caso, o arquiteto – consiste em um vínculo que une a criação e a obra, sendo indissociável e fruto de emanação da personalidade.
Migalhas de peso Entra em vigor o Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia
segunda-feira, 4 de junho de 2018

Entra em vigor o Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia

Ricardo Barretto Ferreira, Paulo Brancher, Camila Taliberti e Vitor Koketu da Cunha
Um dos principais aspectos do GDPR é a preocupação em proteger a privacidade das pessoas que se encontram no território da União Europeia. Em um ambiente de globalização e economia baseada na internet cada vez mais dependente de dados para se sustentar (data driven economy).
Migalhas de peso A visão dos tribunais brasileiros em relação às cláusulas de limitação de responsabilidade nos contratos empresariais
segunda-feira, 31 de julho de 2017

A visão dos tribunais brasileiros em relação às cláusulas de limitação de responsabilidade nos contratos empresariais

A cláusula de limitação de responsabilidade contratual, como o próprio nome indica, estabelece um limite quanto às indenizações devidas a título de perdas e danos correlatas a uma obrigação contratual.
Migalhas de peso Riscos e oportunidades na negociação das contrapartidas na tv digital
terça-feira, 18 de abril de 2006

Riscos e oportunidades na negociação das contrapartidas na tv digital

Ricardo Barretto e Paulo Brancher
O estabelecimento de contrapartidas internacionais comumente ocorre em duas situações distintas. A primeira se relaciona a um determinado processo de aquisição, em que um país, enquanto entidade compradora, exige de seus fornecedores instrumentos de compensação capazes de reduzir o custo financeiro associado à referida aquisição, ao mesmo tempo em que pretende beneficiar sua economia local.