quarta-feira, 12 de agosto de 2020

ISSN 1983-392X

Rubens Walter Machado Filho

Migalheiro desde março/2019.

Advogado, administrador de empresas, diretor do IBDTrans - Instituto Brasileiro de Direito dos Transportes. CEO da MCLG Consulting & Recovery (USA). Sócio do escritório Machado, Cremoneze, Lima e Gotas - Advogados Associados.

Migalhas de peso

A desconsideração da personalidade jurídica e a inclusão dos sócios no polo passivo da disputa judicial: Um olhar em favor do credor e da defesa do direito

“A verdade é inconvertível; a malícia pode atacá-la, a ignorância pode zombar dela, mas no fim, lá está ela.” - Sir Winston Churchill Leia

Gisele Feliciano, Rubens Walter Machado Filho e Paulo Henrique Cremoneze

14/5/2020
Migalhas de peso

Os juros de mora, a taxa SELIC e o desacordo entre ambos

Os juros moratórios, segundo o critério tradicional, constituem mecanismo de calibragem dos litígios judiciais, revestidos de função pública, e absolutamente saudáveis. Leia

Rubens Walter Machado Filho e Paulo Henrique Cremoneze

23/10/2019
Migalhas Amanhecidas

MIGALHAS nº 4.851

... Gotas – Advogados Associados, os advogados Gisele Feliciano, Rubens Walter Machado Filho e Paulo Henrique Cremoneze tratam da desconsideração da personalidade jurídica e a inclusão dos sócios no polo passivo da disputa judicial. (Clique aqui) ColunasCPC na prática Professor Rogerio Mollica trata da fixação de honorários advocatícios em face da Fazenda Pública e a insistência na manutenção da fixação por equidade. (Clique aqui)Porandubas políticas A pendenga com Sergio Moro poderá ampliar as sequelas na imagem de Bolsonaro. Confira as análises de Gaudêncio Torquato. (Clique aqui)ABC do CDC Segundo o desembargador... Leia

14/5/2020
Migalhas Amanhecidas

MIGALHAS nº 4.692

Sexta-feira, 20 de setembro de 2019 - Migalhas nº 4.692. Fechamento às 10h39. "Enquanto houver o dinheiro e a necessidade de ganhá-lo, impossível a verdadeira honestidade e o heroísmo puro." Monteiro Lobato Um fundo pra chamar de seu Está na pauta do TRF da 3ª região disputa que envolve o FDD – Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, de abrangência nacional, cujo saldo em caixa alcança R$ 2,5 bilhões (coincidentemente o mesmo valor que se queria tungar na malfadada Fundação Lava Jato). De um lado, o MPF quer o descontingenciamento dos recursos; de outro, a União argumenta que... Leia

20/9/2019

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram